Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um estudo levado a cabo pela Universidade da Califórnia, junto dos utilizadores locais de veículos 100% eléctricos e híbridos plug-in, determinou que cerca de 1/5 acaba por trocar os seus modelos menos poluentes por outros que confiam exclusivamente em motores de combustão.

O inquérito envolveu a participação de 4167 lares, em que 1842 responderam à questão se mantinham os seus veículos eléctricos. Entre estes, 1458 responderam afirmativamente, enquanto 384 afirmaram preferir regressar a carros com motores de combustão.

Entre os utilizadores de veículos com mecânicas híbridas plug-in, a percentagem de respostas positivas e negativas, em relação à manutenção dos actuais modelos foi similar, com cerca de 80% a continuar fiel aos PHEV e os restantes 20% a abandoná-los.

A justificação avançada pelos inquiridos para o abandono destes veículos com baterias recarregáveis foi a falta de uma infraestrutura capaz de as recarregar, tanto em casa como no local de trabalho, ou nas proximidades. A Tesla, provavelmente devido à sua rede de carga própria, foi o construtor que registou a menor perda de clientes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR