Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vítor Constâncio repetiu várias vezes a ideia, depois de sucessivamente confrontado com a questão pelos deputados. O antigo governador do Banco de Portugal lamenta não ter sido avisado sobre o aumento da exposição do Banco Espírito Santo (BES) à filial angolana BESA, que se verificou ainda no tempo em que esteve à frente da entidade de supervisão. Mas, ao mesmo tempo, também disse compreender porque é que não foi informado pelos serviços dessa situação. E admitiu não ter a certeza de que teria feito alguma coisa.

Constâncio: “Assumo as minhas responsabilidades gerais, mas a perguntas concretas respondo com a verdade

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.