Durante cinco dias, a pequena cidade britânica de Ascot voltou a receber a maior concentração de chapéus extravagantes do mundo. As históricas corridas de cavalos serviram, mais uma vez, de pretexto para os habituais looks femininos — coloridos, quase sempre cortados pelo joelho e invariavelmente coroados por chapéus aparatosos, alguns deles autênticas obras escultóricas.

As máscaras faciais fizeram parte da paisagem mas ainda assim não ofuscaram aquele que é o acessório rei. Decorados com plumas, flores, folhos, laços, letras, borboletas e folhas, existem dois tipos de chapéus — os de diâmetro generoso, capazes de competir com um toldo na hora de fazer sombra, e as construções em altura, que desafiam as leis da gravidade. Houve de tudo um pouco em Ascot, sinal de que as damas britânicas estão desejosas de retomar a vida social, sobretudo se a ocasião exigir um modelito a rigor e umas quantas objetivas para captar o momento.

2021 Royal Ascot - Day Five

© Chris Jackson/Getty Images

Por ocupar ficou o lugar de Isabel II, que só deu um ar da sua graça no último dia, sábado. Aficionada destas corridas, nos dias anteriores fez-se representar pelo príncipe Carlos, acompanhado por Camilla, e ainda pela filha, a princesa Ana. Também os condes de Wessex passaram por Ascot durante os últimos dias. Zara Tindall foi outro dos elementos da família que não perderam a oportunidade de desfilar, ainda que de forma bastante contida, algumas obras de arte — das que se usam elegantemente sobre a cabeça, entenda-se.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na fotogaleria, os visuais mais marcantes de mais uma edição das corridas de Ascot, no Reino Unido.

Artigo atualizado no dia 20 de junho, às 20h, com nota da presença de Isabel II no último dia das corridas de Ascot.