A final feminina dos 400 metros livres, num Tokyo Aquatics Centre que já assistiu a um recorde mundial e à surpresa proporcionada pelo tunisino Ahmed Hafnaoui, teve dois principais pontos de interesse. Ou, neste caso, dois principais nomes de interesse: Katie Ledecky e Ariarne Titmus. A norte-americana, que no Rio de Janeiro conquistou quatro ouros e uma prata e é o grande nome da natação feminina nos últimos anos, não conseguiu revalidar o título olímpico e ficou atrás da rival australiana. Contudo, pelo meio da rivalidade atual, apareceu um nome aparentemente periférico que poderá ser o início das rivalidades futuras.

Summer McIntosh nasceu em Toronto, no Canadá. Ao longo da carreira, quebrou mais de 50 recordes nacionais nas respetivas faixas etárias em que ia competindo. Nos apuramentos canadianos para os Jogos Olímpicos, a nadadora venceu nos 200 e nos 800 metros livres e apurou-se diretamente para Tóquio 2020. Já no Japão, em estreia em edições olímpicas, Summer qualificou-se para a final dos 400 metros livres com o quinto melhor tempo das eliminatórias, passou na liderança da final aos primeiros 50 metros, esteve com o bronze na mão até aos últimos instantes e só perdeu a medalha para a chinesa Bingjie Li. O pormenor? Tem apenas 14 anos. Tem apenas 14 anos e ninguém, no mundo inteiro, alguma vez tinha nadado tão rápido com tão pouca idade.

Swimming - Olympics: Day 2

A jovem nadadora qualificou-se para a final de 400 metros livres com o quinto melhor tempo das eliminatórias

A jovem atleta, que nasceu em agosto de 2006 e escassos dois anos antes de Michael Phelps fazer história nos Jogos Olímpicos de Pequim, tem o desporto nas veias. A mãe de Summer, Jill Horstead, também foi nadadora profissional e ficou em nono nos 200 metros mariposa dos Jogos de Los Angeles, em 1984. Já a irmã mais velha, Brooke, é patinadora artística e competiu nos Jogos Olímpicos da Juventude de inverno de 2020. Em Tóquio, com apenas 14 anos, a jovem canadiana vai tentar intrometer-se na rivalidade de Ledecky e Titmus e procurar dar cores mais alegres a um ano bastante cinzento.

Em abril de 2020, Summer McIntosh perdeu o treinador de longa data, Kevin Thorburn. Menos de um ano depois, em janeiro passado, o pai da nadadora foi diagnosticado com um cancro. Para a mãe de Summer, Jill, o facto de Thorburn ter morrido na altura em que a pandemia estava em plena força no mundo inteiro tornou “muito difícil” o luto para todos os atletas que treinava. “Acho que ainda estão todos a passar pelo processo de luto. Acho que todos eles estão a tentar honrá-lo sempre que entram na água. Ela vai carregar com ela toda a sabedoria dele ao longo da carreira”, explicou a antiga nadadora à CBC, ainda antes de os Jogos arrancarem, acrescentando que Summer fala frequentemente sobre o treinador.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta segunda-feira, a nadadora canadiana teve uma mão na medalha de bronze mas a inexperiência, provavelmente, não lhe permitiu manter o ritmo nos últimos 50 metros, acabando por ceder o último lugar do pódio. No site oficial dos Jogos Olímpicos, quando se abre a página específica de uma competição, é possível ler duas ou três frases sobre cada atleta. Summer McIntosh, nessa pequena secção, tem um lema: “Trabalha o mais possível e diverte-te o mais possível”. E é difícil encontrar melhor frase para guiar uma carreira desportiva.