O filme mudo “Maria do Mar”, de Leitão de Barros, abrirá em novembro o festival Porto/Post/Doc, numa edição cujo tema central da programação será “Ideias para adiar o fim do mundo“, foi esta terça-feira anunciado.

“Mais de um ano volvido desde o aparecimento da pandemia, o tema central para a edição 2021 segue o repto ‘Ideias para Adiar o Fim do Mundo'”, inspirado num livro do ambientalista índigena brasileiro Ailton Krenak, para abordar questões sobre ambiente, política e consumo, refere a direção.

Neste eixo de programação, serão exibidos, por exemplo, “Who we were”, de Marc Bauder, exibido este ano em Berlim, com a participação de intelectuais e investigadores sobre ciência e o futuro, o premiado “Amanhã”, de Cyril Dion e Mélanie Laurent, e “Nuestra voz de tierra, memoria y futuro”, filme de 1981 da antropóloga colombiana Marta Rodríguez e do marido, o fotógrafo Jorge Silva.

A par do cinema, haverá ainda três debates sobre a Terra (moderado por Raquel Ribeiro), a Comunidade (moderado por Abel Coentrão) e a Liberdade (moderado por Ricardo Alexandre).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A abertura da oitava edição do Porto/Post/Doc, em 20 de novembro, acontecerá em jeito de homenagem ao cinema português, com a exibição de uma cópia restaurada de “Maria do Mar”, filme mudo de 1930 de Leitão de Barros.

A sessão contará com música ao vivo pela Orquestra Sinfonietta de Lisboa, com direção musical de Vasco Pearce de Azevedo, a partir de uma partitura original escrita por Bernardo Sassetti para este filme.

A oitava edição do Porto/Post/Doc está marcada para os dias 20 a 30 de novembro, nas salas do Teatro Municipal do Porto, do Cinema Passos Manuel e do Coliseu, na Casa Comum da Reitoria da Universidade Porto e no Planetário do Porto – Centro Ciência Viva.

À semelhança do que aconteceu em 2020, em contexto de pandemia, o festival contará com uma extensão online, com grande parte dos filmes selecionados.