A Lipor recebeu, no 1.º semestre deste ano, 30.340 toneladas de materiais para reciclagem nos ecopontos, ecocentros e Zonas de Recolha Seletiva Porta a Porta, um crescimento de 4% relativamente ao período homólogo de 2020, foi esta quarta-feira anunciado.

Em comunicado, a Lipor acrescenta que o crescimento se registou, sobretudo, no papel/cartão, plástico e vidro.”Estes valores são fruto do forte investimento e da aposta que a Lipor e os municípios associados têm desenvolvido, com vista a maximizar e incrementar a quantidade de materiais a enviar para reciclagem”, sublinha.

A Lipor é a entidade responsável pela gestão, valorização e tratamento dos resíduos urbanos produzidos pelos municípios de Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde.

No primeiro semestre de 2021, a Lipor recebeu 19.655,79 toneladas de biorresíduos recolhidos seletivamente, resultado que, comparativamente a 2020, representa um aumento de 5,71%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um aumento que a Lipor justifica com a aposta na implementação de mais projetos de recolha porta a porta e do retorno parcial da atividade da restauração, fruto do desconfinamento.

No comunicado, a Lipor destaca, como “excelente notícia”, o “significativo decréscimo” na produção global de lixo.

Foram rececionadas 189.250,34 toneladas, menos 3,80% que no mesmo período de 2020.

Este material que não teve como destino final o aterro sanitário, tendo sido valorizado na Central de Valorização Energética da Lipor, o que permitiu, neste 1.º semestre de 2021, a exportação para a rede nacional da EDP de 82.312 MWh de energia elétrica.

A Lipor trata anualmente cerca de 500 mil toneladas de resíduos urbanos produzidos por 1 milhão de habitantes.