O piloto português Miguel Oliveira (KTM) terminou esta sexta-feira na 18.ª posição o primeiro dia de treinos livres para o Grande Prémio de Aragão, em Espanha, 13.ª prova do Mundial de motociclismo de velocidade.

Oliveira fez a sua melhor volta na segunda sessão, à tarde, rodando em 1.46,623 minutos, terminando o dia a 1,010 segundos do mais rápido, o australiano Jack Miller (Ducati).

O piloto português até melhorou 1,3 segundos da sessão da manhã para a da tarde, mas, à exceção do espanhol Marc Márquez (Honda), todos os outros também melhoraram.

Foi um dia mais positivo do que aquilo que a classificação mostra. Optámos por uma estratégia diferente. Em vez de voltas rápidas montámos um pneu macio atrás e vimos que não deverá ser uma opção para nós devido às temperaturas. Depois mudámos para os pneus mais duros e estivemos melhores”, explicou o piloto de Almada.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Oliveira considera que, apesar do registo de esta sexta-feira, pode ser “competitivo”: “Amanhã [Sábado], temos de ser mais rápidos para entrar na Q2 [segunda fase da qualificação]. Mas ainda há muita margem de progressão”, disse o piloto luso, na conferência de imprensa após a sessão.

Miguel Oliveira continua com limitações no pulso direito, mas sabe que será “uma questão de tempo” até recuperar totalmente.

O pulso ainda dói, mas um pouco menos do que em Silverstone. Sei que será uma questão de mais algumas semanas. Aqui temos menos curvas, o que ajuda”, frisou.

Esta sexta-feira, o piloto da KTM experimentou um novo quadro [chassis] na sua mota, “com pequenas alterações”, mas ainda não é seguro que o vá utilizar na corrida.

O Grande Prémio de Aragão é a 13.ª de 19 provas do Mundial, em que Miguel Oliveira ocupa a oitava posição, com 85 pontos.

No sábado disputam-se mais duas sessões de treinos livres e a qualificação, dividida em duas fases (Q1 e Q2).