As exportações portuguesas de metalurgia e metalomecânica aumentaram 9,5%, para 1.739 milhões de euros, em julho face ao mês homólogo, atingindo o oitavo melhor registo mensal “de sempre”, informou esta segunda-feira a associação setorial.

“Depois de meses em que os constrangimentos crescentes afetaram a ação e o possível crescimento do setor do metalúrgico e do metalomecânico, com possíveis danos irremediáveis para a economia nacional, as empresas do Metal Portugal continuam numa recuperação surpreendentemente acentuada, tendo registado, até à data, um ano de 2021 cheio de recordes e dos melhores resultados de sempre”, refere a Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal (AIMMAP) em comunicado.

Segundo salienta, “o mês de julho não fugiu à tendência de bons resultados”, apresentando um registo que “entra diretamente para o top 10” e se destaca como “a oitava melhor marca de sempre”.

Estes resultados surgem após o crescimento acumulado de 32% das exportações do Metal Portugal no primeiro semestre deste ano, face ao mesmo período do ano anterior.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com a AIMMAP, esta evolução resulta, em grande medida, da “recuperação dos mercados tradicionais, que representam 76% das exportações, como Espanha, França, Itália e Reino Unido e Alemanha, sendo que Alemanha e Itália ainda se encontram aquém dos valores apresentados em 2019”.

“Por outro lado, a importância que os mercados extraeuropeus assumiram é muito relevante, quando vemos que mercados como Marrocos e Japão tiveram um aumento de cerca de 45%”, acrescenta.

Citado no comunicado, o vice-presidente da AIMMAP admite que “estes resultados, mês após mês, acabam por ser surpreendentes”, tendo em conta o cenário pandémico, a “grave crise no que diz respeito à escassez de matérias-primas”, o “aumento exponencial do custo das matérias-primas e do transporte” e o mais recente “aumento galopante nos preços da energia” que as empresas têm enfrentado.

“Conseguimos, com todos estes constrangimentos, mostrar a resiliência das empresas portuguesas, que conseguiram fazer com que o setor crescesse 0,1% face ao período homólogo em período pré-pandemia, ou seja, em 2019, que foi o melhor ano de sempre nas exportações do Metal Portugal. Todos estes fatores fazem-nos crer que, a manter a tendência de crescimento, o ano de 2021 vai ser um ano de recorde para o setor”, afirma Rafael Campos Pereira.