O cabeça de lista da coligação “Leiria pode Mais” (CDS-PP/MPT) à Câmara de Leiria, Fábio Seguro Joaquim, alertou esta quarta-feira para os problemas da habitação social, não social e para estudantes.

“Do ponto de vista da habitação, Leiria sofre de alguns problemas, quer em termos sociais, não sociais e até estudantis”, disse Fábio Seguro Joaquim, que esta quarta-feira, numa visita simbólica, desloca-se ao bairro social Sá Carneiro, em Marrazes.

Segundo o candidato, “existem em Leiria mais de 200 famílias em lista de espera para poderem aceder a habitação social”.

A Câmara, liderada pelo PS, “apenas tem 111 fogos distribuídos em duas únicas” das 18 freguesias do município, recordou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“É necessário fazer acordos com bancos, empresas, pessoas proprietárias de casas vazias, a oferta das mesmas no mercado de arrendamento a preços acessíveis e que assim exista um verdadeiro mercado de arrendamento social”, declarou.

Para o cabeça de lista, presidente da concelhia do CDS-PP de Leiria, existe um problema de base na habitação e é por isso necessário “reorganizar os procedimentos internos que interferem com o licenciamento urbanístico, de forma a agilizar a sua marcha, obviamente com o respeito da legalidade”.

“Também acreditamos que uma revisão do Plano Diretor Municipal é necessária de forma a simplificar as normas a cumprir pelos particulares em matéria de urbanismo e de ordenamento do território, sendo desta forma o processo base para que quer a habitação social e não social e até o contributo que a Câmara Municipal também deveria dar aos estudantes, tendo em conta o impacto que representam na nossa cidade, deveria ser feito”, referiu.

Fábio Seguro Joaquim observou que o município “disponibiliza três apartamentos para estudantes em Leiria”, para depois lembrar “os milhões de euros de impacto económico que o ensino superior representa” para a cidade.

Admitindo que há um longo caminho a percorrer pela Câmara no âmbito da habitação no sentido de apoiar as famílias que estão em lista de espera, os estudantes e outros profissionais que se queiram fixar em Leiria, o cabeça de lista do CDS-PP/MPT reconheceu que se trata de um problema abrangente e transversal.

Fábio Seguro Joaquim defendeu “políticas que permitam que os munícipes se fixem nas diversas freguesias, “algumas delas já a perder a população em detrimento das freguesias urbanas”.

“É necessário ter uma política de enquadramento da habitação e do planeamento territorial para que essas mesmas freguesias não percam população e, assim, o nosso município como um todo” não perca coesão, acrescentou.

Entretanto, o candidato fez saber que o partido Aliança apoia a coligação “Leiria pode Mais”, considerando que é “a melhor resposta” para as eleições de dia 26.

Além de Fábio Seguro Joaquim, são também candidatos à Câmara de Leiria nas eleições autárquicas o presidente da Câmara, Gonçalo Lopes (PS), Álvaro Madureira (PSD), Luís Paulo Fernandes (Chega), Marcos Ramos (Iniciativa Liberal), Pedro Machado (PAN), Luís Miguel Silva (BE), Sérgio Silva (CDU) e Filipe Honório (Livre).