Os nomes indigitados para presidente, Damasceno Dias, e para os três vogais permanentes para a Comissão e Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (Cresap) vão ser ouvidos em 19 de outubro no parlamento.

De acordo com os estatutos da Cresap, o presidente e vogais permanentes (entre um mínimo de três e um máximo de cinco) são providos, após audição pela Assembleia da República, por resolução do Conselho de Ministros, sob proposta da ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública.

Em 19 de outubro vai ser ouvida na Comissão de Administração Pública, Modernização Administrativa, Descentralização e Poder Local a nova equipa da Cresap composta por Damasceno Dias, como presidente, e por Maria Eugénia Almeida santos, João de Salis Gomes e Maria Cristina Coelho, como vogais.

Damasceno Dias sucede a Maria Júlia Ladeira designada para o cargo de residente da Cresap em março de 2017. Antes tinha sido presidida por João Bilhim.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Criada em dezembro de 2011, a Cresap tem por missão o recrutamento e seleção de candidatos para cargos de direção superior na Administração Pública e, ainda, a avaliação dos currículos e da adequação das competências das personalidades indigitadas para exercer cargos de gestor público ou cargos a estes equiparados a qualquer título.

Os estatutos determinam que o presidente e vogais devem ser selecionados de entre personalidades de reconhecido mérito profissional, credibilidade e integridade pessoal, sendo que os segundos devem ainda ter exercido atividade, preferencialmente, na área dos recursos humanos ou da Administração Pública.

Damasceno Dias é subdiretor-geral da área de Recursos Humanos e Formação da Autoridade Tributária e Aduaneira.