Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foi encontrado na cidade de Yavne, em Israel, um anel de ouro e ametista datado do século VII que terá sido usado para prevenir ressacas, de acordo com o comunicado da Autoridade das Antiguidades de Israel, que a CNN cita.

O anel foi encontrado a cerca de 150 metros dos escombros de um armazém (possivelmente uma adega), que continha ânforas usadas para guardar vinho.

Elie Haddad, codiretora da escavação, disse que o anel pode ter pertencido “ao dono do magnífico armazém, a um capataz, ou a um visitante azarado, que deixou cair e perdeu o valioso anel” que poderá ter escolhido o mesmo para “evitar a intoxicação proveniente de beber muito vinho”, já que a pedra ametista é associada a várias propriedades, incluindo a prevenção de ressacas.

A imagem da peça de joalharia feita de ouro e ornamentada por uma pedra de ametista foi partilhada pela Autoridade das Antiguidades nas redes sociais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Amir Golani, um dos arqueólogos presentes na escavação, afirmou que é possível que o dono do anel de ouro tenha pertencido a um membro das “elites” do mundo romano que “viveram na cidade”, que o usavam “para mostrar o estatuto e a riqueza”, e que pode ter pertencido tanto “a um homem como a uma mulher”.