A Iniciativa Liberal volta este ano a promover a “Festa da Liberdade” para celebrar o 25 de Novembro, realizando, no sábado, no Porto, a quarta edição com um conjunto de debates dedicados à juventude e as suas preocupações.

“O 25 de Abril derrubou uma ditadura, o 25 de Novembro impediu que fosse imposta sobre os portugueses outra ditadura. São duas datas que todos devemos celebrar, afirmando a Democracia e a Liberdade”, refere o partido liderado por João Cotrim Figueiredo, numa nota enviada à agência Lusa a propósito da IV edição da Festa da Liberdade.

Segundo os liberais, “não existindo uma celebração pública do 25 de novembro, a Iniciativa Liberal organiza a Festa da Liberdade”, referindo que, desde a sua fundação, “é o único partido português que celebra publicamente as duas datas que estabeleceram a Democracia e a Liberdade em Portugal”.

A iniciativa está marcada para sábado, durante todo o dia, no auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto, sendo a edição deste ano “especialmente dedicada à juventude” com a promoção de “um dia de reflexão com diversos oradores convidados, que vão debater temas que preocupam os jovens portugueses, como o emprego, a habitação jovem ou a sustentabilidade”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O encerramento será feito pelo presidente do partido, João Cotrim Figueiredo e, após esta sessão de vários debates, decorrerá um jantar de convívio e, posteriormente, “uma festa onde todos podem participar”.

Entre os painéis em debate, destaque para “25 de Novembro e o caminho para a democracia liberal”, com Zita Seabra, o historiador Rui Albuquerque e os dirigentes liberais João Caetano Dias e Vicente Ferreira da Silva, “Evolução do debate político no espaço académico”, com a presidente da Federação Académica do Porto, Ana Cabilhas, ou “O flagelo da emigração jovem ainda é culpa do Passos?”, com a participação, entre outros, do antigo presidente da IL Carlos Guimarães Pinto.