803kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Austrália. Seis mortos em esfaqueamento em centro comercial em Sydney. Atacante abatido pela polícia

Um esfaqueamento no centro comercial em Sydney resultou em seis mortes. O suspeito terá sido abatido pela polícia, que afasta a hipótese de terrorismo. Entre os oito feridos há um bebé de nove meses.

GettyImages-2147763977
i

O atacante esfaqueou mortalmente seis pessoas, cinco mulheres e um homem, no centro comercial de seis andares Westfield Bondi Junction, em Sydney, Austrália

AFP via Getty Images

O atacante esfaqueou mortalmente seis pessoas, cinco mulheres e um homem, no centro comercial de seis andares Westfield Bondi Junction, em Sydney, Austrália

AFP via Getty Images

 

Um incidente maior. É assim que a polícia de Sydney está a considerar o esfaqueamento múltiplo no centro comercial de seis andares Westfield Bondi Junction. Pelo menos seis pessoas morreram vítimas do ataque, cinco mulheres e um homem. O alegado atacante terá sido abatido pela polícia no local, segundo o The Guardian.

Várias pessoas foram assistidas no local e algumas tiveram de receber cuidados hospitalares, dizendo as entidades policiais que há pelo menos oito feridos nos hospitais, alguns em estado crítico. Há um bebé de nove meses entre os feridos, que está a ser submetido a cirurgia e cuja mãe é uma das vítimas mortais.

A motivação para o ataque não foi ainda revelada. O centro comercial foi encerrado, tendo os visitantes acabado por se esconder nas várias lojas, segundo relatos do local.

Segundo o jornal britânico, o autor do ataque é um homem de 40 anos, que a polícia acredita já ter identificado. As autoridades afastam a hipótese de se tratar de um ataque terrorista e acreditam que o homem agiu sozinho, pelo que já não representa uma ameaça à comunidade.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A ABC indicou que a polícia estaria à procura de um eventual outro atacante, mas o The Guardian avança que não haverá esse segundo elemento. A correspondente do The Guardian na Austrália colocou um tweet com a polícia a entrar no centro comercial. A polícia está a correr todo o centro comercial para avaliar a situação.

Em conferência de imprensa, a comissária da polícia Kate Webb, disse, citada pela BBC, que ainda é cedo para saber se o atacante tinha alvos estabelecidos, questionada sobre o facto de cinco das seis vítimas serem mulheres. Disse ainda que o centro comercial continuará encerrado no domingo e prevê uma investigação de “muitos, muitos dias”.

No vídeo partilhado pelo canal televisivo local 9News Sydney, é possível ver o alegado suspeito a correr com uma faca na mão e várias pessoas a fugir na direção oposta.

O primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, emitiu um comunicado, publicado na rede social X, no qual lamenta aquilo a que se refere como “um terrível ato de violência”.

Várias personalidades estão a lamentar publicamente o ataque. O Papa Francisco mostrou-se “profundamente entristecido” com a “tragédia sem sentido”, segundo noticiou a EFE, mostrando solidariedade para com todos os afetados, a quem oferece as suas orações.

“Sua Santidade o Papa Francisco está profundamente entristecido ao saber do violento ataque em Sydney e envia a sua solidariedade a todos os afetados por esta tragédia sem sentido, que agora choram a perda de um ente querido”, lê-se num telegrama enviado ao reverendo Anthony Fisher, arcebispo de Sydney.

O Pontífice “oferece as suas orações pelos mortos, pelos feridos, bem como pelos socorristas, e invoca sobre a nação as bênçãos divinas de consolação e encorajamento”, acrescenta-se na mensagem, assinada pelo secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin, em nome de Papa Francisco.

O príncipe e a princesa de Gales também manifestaram tristeza pelo ataque, na rede social X. Da mesma forma, o Rei Charles III assinou uma mensagem sobre o sucedido.

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar
Junte-se ao Presidente da República e às personalidades do Clube dos 52 para uma celebração do 10º aniversário do Observador.
Receba um convite para este evento exclusivo, ao assinar um ano por 99€.
Limitado aos primeiros 100 lugares
Assinar agora Ver programa