Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Podia ser uma história clássica, clichê: vocalista de banda que existe há muitos anos (neste caso, quase 20) farta-se, arruma as trouxas, põe-se a andar, começa uma carreira a solo. O tempo traz inevitavelmente desgaste, mas a história de André Henriques não é essa.

O vocalista, letrista e guitarrista dos Linda Martini continua feliz na banda fundada em 2003, não tenciona abandoná-la e continua a ter no rock a sua força motriz. Não por oposição a isso, mas paralelamente a isso, lança-se agora em algo diferente: um projeto musical a solo. Na próxima sexta-feira, 13 de março, edita o primeiro álbum que gravou e compôs com o seu nome. Chama-se Cajarana.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.