Logo Observador
Impostos

Estudo. Quatro em cada 10 gregos vê evasão fiscal como “legítima defesa”

Quatro em cada dez gregos veem a evasão fiscal como "defesa legítima contra os impostos elevados" e um em cada 10 foge ao fisco quando pode, concluiu o centro de estudos grego Dianeosis.

Autor
  • Agência Lusa

Quatro em cada dez gregos veem a evasão fiscal como “defesa legítima contra os impostos elevados” e um em cada 10 foge ao fisco quando pode, concluiu hoje o centro de estudos grego Dianeosis.

De acordo com o estudo do Dianeosis, citado pela agência de notícias espanhola Efe, os gregos que fogem ao fisco quando têm oportunidade alegam, na sua resposta, que são muitos os que o fazem, justificando assim o seu comportamento.

Nesse sentido, 71,1% dos entrevistados consideram que a fraude fiscal na Grécia “não pode ser erradicada”.

O estudo mostra também que desceu fortemente o número de gregos que prefere ter “impostos mais altos em troca de um estado social forte” face ao anterior relatório do Dianeosis, de abril de 2015. Agora são 31,9% que o defendem, quando há quase dois anos eram 49,7%.

Em consequência, a percentagem dos que acreditam que “tem de haver impostos baixos, inclusivamente se há menos atenção pública”, aumentou para 54,5% face aos 39,2% em abril de 2015.

Por fim, seis em cada dez gregos pensam que se deve reduzir o peso do setor público, a mesma proporção que crê que o Estado intervém “demasiado” na economia e não permite ao setor privado “gerar riqueza e postos de trabalho”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Estado de calamidade

Manuel Villaverde Cabral
285

Continua tudo como dantes: o país está entregue ao clientelismo governamental, dependente do crescimento externo e condenado à dívida. Esta é que é a calamidade que explica as outras calamidades.

Economia

Viva o turismo

João Marques de Almeida
1.401

Os “novos aristocratas” acham que têm privilégios especiais. Passam a vida inteira a viajar, mas nunca são turistas. As massas da classe média viajam pouco, mas se o fazem são logo turistas detestados

Incêndios

Eu vivi um fogo. E vi quem são os heróis

Fernando Leal da Costa

Foi então que os vi. Os populares, como se lhes chama tantas vezes, montados em tratores e pick-ups equipados com depósitos e mangueiras. Chegam e, sem medo, atiram-se ao monstro que crepita fagulhas.