Logo Observador
Síria

Síria. 66 mil deslocados devidos aos recentes confrontos no norte do país

Os recentes combates na provícia de Alepo, no norte da Síria, causaram aproximadamente 66 mil deslocados, revelou a Agência das Nações Unidas para a Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA).

Os recentes combates na provícia de Alepo, no norte da Síria, causaram aproximadamente 66 mil deslocados, revelou hoje a Agência das Nações Unidas para a Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA). “Isto inclui cerca de 40 mil pessoas de Al-Bab e da cidade próxima de Tadef, bem como 26 mil pessoas de comunidades a leste de Al-Bab”, na província de Alepo, no norte da Síria, detalhou a OCHA.

Al-Bab era um importante bastião dos ‘jihadistas’ do EI no norte da Síria, mas as forças turcas e grupos rebeldes sírios aliados conseguiram recuperar o controlo da cidade no final do mês passado, após semanas de intensos combates.

A OCHA indicou que 39.766 deslocados da cidade fugiram para áreas controladas por outras forças rebeldes a norte, e que a “elevada contaminação” de bombas por explodir e outras armadilhas mortais implantadas pelo autoproclamado Estado Islâmico (EI) aquando da sua retirada estava dificultar os seus esforços para regressar.

E, desde 25 de fevereiro, sublinhou a OCHA, outros 26 mil fugiram da violência a leste de Al-Bab, onde as forças governamentais sírias também travam uma ofensiva contra o EI.

Muitas dessas pessoas encontraram refúgio em zonas em torno de Manbij, uma cidade controlada pelas Forças Democráticas da Síria, uma coligação de cerca de 30 mil combatentes curdos e árabes, apoiadas pelos Estados Unidos.

No sábado, o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), organização com sede em Inglaterra, indicou que 30 mil pessoas tinham sido deslocadas pelos confrontos entre as forças do regime e os extremistas do EI.

Desde que a guerra estalou na Síria, em março de 2011, mais de metade da sua população foi obrigada a abandonar as suas casas.

A província de Alepo alberga dezenas de milhares de deslocados, muitos dos quais a viver em acampamentos perto da fronteira com a Turquia. A guerra civil na Síria já causou mais de 300 mil mortes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Londres

O 22 de Março

Gonçalo Dorotea Cevada
112

Ontem estava em Londres e o pânico que senti não foi diferente do medo que tive a 22 de Março de 2016 quando estava em Bruxelas. Tenho medo de morrer mas não posso nem quero deixar de viver.