Logo Observador
Poupança

Norte alvo de projeto-piloto para ensinar a população a poupar

Ensinar a população do Norte a poupar é a finalidade de um projeto-piloto que arranca esta segunda-feira e que visa aumentar "o papel das autarquias na formação dos munícipes".

MÁRIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Ensinar a população do Norte a poupar é a finalidade de um projeto-piloto que arranca esta segunda-feira e que resulta de um protocolo entre a comissão de coordenação e desenvolvimento da região e o Conselho Nacional de Supervisores Financeiros.

“Reforçar a formação financeira das autarquias da região Norte e apoiar as suas iniciativas de formação financeira dirigidas às populações locais” é o objetivo do protocolo, a ser hoje assinado no Porto e que se enquadra no Plano Nacional de Formação Financeira “Todos Contam”, explica a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

A assinatura marca o arranque de um projeto-piloto que visa aumentar “o papel das autarquias na formação dos munícipes em matéria de gestão de finanças pessoais e familiares”, sendo que o Conselho Nacional de Supervisores Financeiros vai começar por formar técnicos das câmaras municipais que, por sua vez, irão depois promover ações diretas para formar os cidadãos.

“Para atingir este objetivo os supervisores, com o apoio da CCDR-N, propõem-se reforçar as competências financeiras das autarquias locais e apoiar as suas iniciativas de informação e formação financeira junto dos respetivos munícipes, em colaboração com as juntas de freguesia e as Instituições Particulares de Solidariedade Social”, lê-se no programa de atividades para 2017 do plano “Todos Contam” disponível ‘online’.

No Norte, e numa primeira fase, a iniciativa irá envolver a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa “no sentido de chegar às respetivas 11 câmaras municipais através de ações de informação e formação financeira, campanhas de sensibilização e distribuição de materiais informativos”, indica a CCDR-N em comunicado.

Esta parceria com a CCDR-N representa, segundo se lê no plano “Todos Contam”, um projeto-piloto “que se pretende replicar junto de outras CCDR” do país.

A escolha do Norte para o arranque é justificada pela “sua elevada densidade populacional e pelo enorme interesse que esta região manifesta nos temas da formação financeira, através, designadamente, das iniciativas das autarquias e da sociedade civil, das escolas concorrentes ao concurso Todos Contam ou das candidaturas à formação de professores”, acrescenta o documento.

“Atendendo à amplitude geográfica da região do Norte (86 autarquias), prevê-se que esta iniciativa seja desenvolvida através das respetivas Comunidades Intermunicipais (CIM)”, refere.

A assinatura do protocolo de cooperação está marcada para esta segunda-feira às 10:00 no Palácio da Bolsa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt