Logo Observador
Dubai

Português entra para o Guiness com uma volta ao mundo em 55 horas

1.389

Um português residente no Dubai, Gil Azevedo, estabeleceu um novo recorde ao dar a volta ao mundo em apenas 55 horas e 47 minutos, em voos já agendados.

Azevedo teve que respeitar algumas regras impostas pelo comité do Guiness

GIL AZEVEDO/THE NATIONAL

55 horas e 47 minutos foi o tempo que Gil Azevedo demorou a dar uma volta ao mundo através de transportes convencionais, nomeadamente voos previamente marcados. A viagem foi feita entre 12 e 14 de fevereiro deste ano e foi aceite no final de junho pelo Guiness World Records como um recorde oficial. O recorde anterior pertencia ao britânico Michael Bartlett, que fez uma viagem semelhante em 57 horas e 27 minutos no ano passado, batendo um marco que já não era superado desde 1995.

Natural de Lisboa, Gil Azevedo reside e trabalha no Dubai e, a 12 de fevereiro embarcou num voo em Xangai, na China, com destino a Auckland, na Nova Zelândia. Daí, partiu para Buenos Aires, na Argentina e, de seguida, para Paris. A viagem de regresso passou por Moscovo: tudo isto em 55 horas e 47 minutos, num feito a que o jornal The National chama de um “eco dos exploradores portugueses que conquistaram o Novo Mundo no séc. XV”.

Azevedo revela ao jornal que se inspirou na “Volta ao Mundo em 80 Dias”, de Júlio Verne e no histórico do Dubai em bater recordes: “Aqui no Dubai passamos o dia a ouvir falar de recordes a serem batidos, então decidi ver se era possível”.

Azevedo teve que respeitar algumas regras impostas pelo comité do Guiness, nomeadamente, teve que atingir pontos exatamente opostos, neste caso Xangai e Buenos Aires.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Minorias

O machismo militante da histeria anti xenofobia

Maria João Marques

Os que gritam xenofobia perante a mais leve crítica a certas comunidades onde os maus tratos a mulheres são inerentes à cultura que tanto defendem, fizeram a sua escolha: apoiar a opressão de mulheres

Justiça

Sexo forçado no tribunal

Luís Aguiar-Conraria

Não sei que idade têm os juízes, nem a juíza que votou favoravelmente este acórdão, mas, seja qual for a sua idade, envergonharam Portugal que foi, mais uma vez, e muito bem, condenado pelo TEDH.