Bibliotecas

Bibliotecas públicas tiveram menos visitas e leitores inscritos em 2016

100

As bibliotecas públicas portuguesas tiveram quebras no número de utilizadores inscritos e de visitas ao longo de 2016, embora a despesa tenha aumentado.

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

As bibliotecas públicas portuguesas tiveram quebras no número de utilizadores inscritos e de visitas ao longo de 2016, embora a despesa tenha aumentado, revelou a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB).

De acordo com o relatório estatístico anual divulgado esta semana, em 2016 as bibliotecas tiveram um total de 26,9 milhões de euros de despesa, mais 2,9 milhões de euros do que em 2015.

O relatório, disponível na Internet, tem por base inquéritos feitos a 209 bibliotecas da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas (RNBP) e reúne dados estatísticos sobre a atividade e funcionamento em 2016.

Quanto ao acesso às bibliotecas, em 2016 cada biblioteca pública teve em média 6.885 utilizadores inscritos, um número ligeiramente inferior à média de 6.900 utilizadores em 2015. Também a média de visitas em cada biblioteca desceu de 38 mil para 37 mil.

Do total de 1,4 milhões de utilizadores inscritos em todo o universo das bibliotecas, cerca de 212 mil eram crianças e adolescentes e 808 mil eram adultos.

Com base nas respostas do inquérito nacional, fica-se a saber que cada biblioteca da rede pública tem, em média, 11 trabalhadores e 26 computadores, dos quais 14 com acesso à Internet à disposição dos utilizadores.

Para a aquisição de novos títulos – livros, seriados, livros eletrónicos, CD, DVD, audiolivros -, as bibliotecas gastaram cerca de 1,2 milhões de euros. No total, foram adquiridos 219 mil títulos.

Entre as atividades que as bibliotecas promovem estão a hora do conto, apresentação de livros e exposições. Houve menos ações de formação para a promoção da leitura, descendo de 284 para 245 sessões.

Fora de portas, cada biblioteca pública presta ainda serviço comunitário em torno do livro e da leitura sobretudo em escolas (91%), mas também em lares e centros de dia e em prisões.

O programa da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas foi criado em 1987 e reúne atualmente 219 bibliotecas espalhadas pelo país, em parceria com as autarquias, disponibilizando cerca de 6,4 milhões de títulos para leitura pública.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Cultura

Teatro: a verdade nua e crua

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Está explicada a crise do teatro nacional: é por falta de ‘maturidade do público’ que esta nobilíssima arte não atrai mais espectadores!

Pobreza

Em nome dos filhos

Diogo Prates

Esta é a oportunidade da direita portuguesa, conseguir com um discurso simples mas eficaz apagar de vez a imagem de que a esquerda é a única que se preocupa com os mais pobres e desfavorecidos. Não é.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site