Honda

Let’s rock: Jazz recebe novo 1.5 i-VTEC de 130 cv

O pequeno citadino acaba de dar a conhecer o seu mais recente "restyling", cuja principal novidade é a introdução de um novo 1.5 i-VTEC de 130 cv, capaz de conferir ao Jazz mais dinamismo e agilidade.

Autor
  • Francisco António

Desvendada no Salão de Genebra de 2015, a actual geração do Honda Jazz recebe agora a necessária renovação a meio do ciclo de vida. A qual, além das “obrigatórias” actualizações estéticas, traz também um novo motor 1.5 i-VTEC a gasolina, a debitar uns generosos 130 cv.

Visualmente, o Jazz exibe alterações na secção frontal, nomeadamente ao nível da grelha e das ópticas, numa clara aproximação ao novo Civic. O pára-choques dianteiro é agora mais desportivo, com maiores entradas de ar e novos faróis de nevoeiro. Sem esquecer uma pequena linha a vermelho, a procurar acentuar o tal espírito mais desportivo tão do agrado dos condutores de hoje em dia.

Já na traseira as mudanças resumem-se a uma linha vermelha na base de um pára-choques igualmente redesenhado, e em tudo idêntica à existente à frente. Os farolins mantêm-se tal como até aqui, abdicando da cada vez mais vulgarizada tecnologia LED.

Nova é também a cor exterior azul metalizado, denominado Skyride Blue, ao passo que no interior há uma só novidade a referir: os tapetes. Em tudo o resto, não há mexidas no habitáculo do citadino, onde não faltam sequer os funcionais Magic Seats, fundamentais para conseguir oferecer, num carro de apenas 3,99 metros de comprimento, uma capacidade de bagageira que, com os bancos rebatidos, pode chegar aos 879 litros.

Perante este quadro, a maior e mais importante novidade, resultante deste restyling, é a introdução de um novo motor a gasolina, um 1.5 i-VTEC atmosférico, a debitar 130 cv de potência. Bloco que apenas pode ser adquirido com o nível de equipamento Dynamic – ele próprio, uma novidade na oferta da gama Jazz.

Em termos de transmissões, este novo propulsor a gasolina tanto pode ser acoplado a uma caixa manual de seis velocidades, como à caixa CVT de variação contínua. Sendo que a Honda não anunciou ainda consumos ou prestações, com qualquer uma destas soluções. Mas, com um peso inferior a 1.200 kg, tudo indica que os 130 cv de potência que o motor gera acabem por proporcionar mais agilidade e dinamismo ao pequeno citadino.

Como motor de entrada mantém-se o 1.3 i-VTEC de 102 cv, com um consumo médio de 4,7 l/100 km, e que tanto pode ser associado a uma caixa manual de cinco velocidades, como à CVT.

No equipamento, o destaque vai para o sistema de infoentretenimento Honda Connect, com ecrã táctil de 7”, que dotará de série todos os Jazz. Por outro lado, a partir do nível de equipamento Comfort, o modelo usufrui de uma série de ajudas à condução, como a saída involuntária da faixa de rodagem, alerta de colisão frontal iminente, sistema de reconhecimento de sinais de trânsito e o limitador de velocidade inteligente.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote no primeiro concurso em Portugal dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carroVote agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site