A pouco mais de três horas do encontro entre Real Madrid e Atlético Madrid, em Lisboa, nas imediações do estádio da Luz, com a presença esmagadora de adeptos espanhóis, há quem procure um ingresso, exibindo cartazes para o efeito, mas a especulação é uma realidade, apesar de os bilhetes serem nominais, o que, supostamente, permite a entrada apenas aos legítimos possuidores.

O venezuelano Arnold Chavanus, que pediu hoje em casamento a portuguesa Fátima, de Leiria, tem deambulado pelo parque de estacionamento desde o início da tarde à procura de um bilhete, mas o preço pedido em vários contactos gorou-lhe os intentos.

“Tentei comprar um bilhete para final da ‘Champions’ e custa na ordem dos cinco mil euros. Estão a vendê-los, mas eu não comprei”, disse à agência Lusa Chavanus, em férias em Portugal.

Fervoroso adepto de futebol, Arnold Chavanus referiu que não encontrou preço mais baixo no mercado-negro, porque, frisou, “a tarifa é de cinco mil euros”, um preço “incomportável”.

“Terei de acompanhar a final da Liga dos Campeões fora do estádio”, disse o venezuelano, que poderá juntar-se às dezenas de milhares de adeptos que viajaram para Lisboa sem bilhete e que vão assistir ao jogo em ecrãs gigantes nas “fan zones” de Real Madrid (Praça da Figueira e Rossio) e Atlético de Madrid (Parque Eduador VII).

A Polícia de Segurança Pública (PSP) não tem registo de qualquer ocorrência relacionada com “o crime de especulação”.

No entanto, o comissário Rui Costa salientou que “a PSP está atenta à venda de bilhetes por um preço superior ao de aquisição”, pois trata-se da “prática de um crime”.

Entre os muitos adeptos do Real Madrid e do Atlético Madrid concentrados, num ambiente festivo, encontra-se a portuguesa Ana Silva desde as 12:00.

Especialista em “free style football” (habilidades com bola), Ana Silva foi convidada por uma empresa para, no parque de estacionamento junto ao estádio da Luz, exibir-se com a bola, envergando um equipamento do Atlético de Madrid, enquanto rufam tambores.

“É uma oportunidade única estar neste ambiente incrível e estou a realizar um sonho”, afirmou, acrescentando que o convite “é bem pago”.

Apesar de ter outros convites para hoje, a portuense decidiu aceder à proposta para trabalhar nesta final da Liga dos Campeões, a primeira que opõe dois clubes da mesma cidade.

Ana Silva realiza habilidades com bola há cinco anos, porém não vai poder assistir ao encontro entre Real Madrid e Atlético Madrid porque viaja para o Porto ao princípio da noite de hoje.