Seiscentos bailarinos para 25 minutos de futebol. A 12 de junho, a entrada em campo do Mundial de Futebol é portuguesa e o capitão da equipa é Daphné Cornez, directora artística da Impossible Factory, empresa portuguesa lançada em 2011 por João Garrido da Costa, António Oliveira Santos e Fabrice Bollen.

Uma bola de led, ginastas acrobatas, de trampolim e capoeiristas vão encher o relvado do jogo inaugural entre o Brasil e a Croácia, em Itaquerão, São Paulo,às 15h15 da próxima quinta-feira, 12 de junho. Cerca de um mês depois, a 13 de julho, assiste-se ao espetáculo de encerramento, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

O objetivo é o de criar um espetáculo à custa da história, atitude e dos recursos do país, explicou António Oliveira Santos ao Observador. “Nós não vamos levar uma coisa para o Brasil, vamos lá fazer algo com as pessoas de lá e a sua história. É uma homenagem ao país”, diz o administrador da Impossible Factory. À equipa da empresa portuguesa compete incluir a linguagem artística do espetáculo, acrescenta.

“O grande retorno que esperamos é o do posicionamento e do reconhecimento”, diz um dos fundadores da empresa que nasceu em 2011.

António Santos não quis revelar ao Observador o valor da proposta, mas adianta que não se tratou de um “contrato milionário”. “O grande retorno que esperamos é o do posicionamento e do reconhecimento”, diz um dos fundadores da empresa que nasceu em 2011 como fruto da estratégia de expansão internacional da Tavolanostra, empresa de eventos globais responsável pela produção artística do espetáculo de comemoração dos 35 anos dos Xutos & Pontapés ou da cerimónia oficial de apresentação das sete maravilhas naturais de Portugal.

Foi durante a preparação do espetáculo da cerimónia das sete maravilhas naturais de Portugal que os administradores da empresa conheceram Fabrice Bollen, atual CEO da Impossible Factory, e Daphné Cornez, diretora artística. A produção foi dividida com a Franco Dragone Entertainment, a empresa belga que foi convidada para produzir as cerimónias e que entretanto se afastou da corrida. A brasileira Team Spirit, produtora executiva oficial do evento, convidou a empresa portuguesa para assumir a criação e produção artística das cerimónias na integra .

Daphné Cornez foi recentemente convidada para dirigir a cerimónia de encerramento de MONS Capital Europeia da Cultura 2015 e assinou produções como a cerimónia oficial das sete maravilhas naturais de Portugal ou o “China-Belgium 40th Anniversary of Diplomatic Ties”, que decorreu em Pequim, em 2011. As tours internacionais de David Bowie e de Daft Punk têm dedo de Fabrice Bollen, que assinou a produção de eventos como a cerimónia de abertura dos Jogos da América do Sul.