O leite de cabra serpentina, raça em vias de extinção, e o azeite alentejano são os principais ingredientes de um sabonete artesanal criado por duas empresárias de Évora, que querem ‘conquistar’ o norte da Europa.

“Olivae” é o nome do sabonete produzido por Carla Janeiro e Elza Pais, com técnicas de fabrico artesanal. A “receita” inclui leite de cabra serpentina, azeite alentejano, cera de abelha e óleos essenciais biológicos.

Carla e Elza, respetivamente, engenheira zootécnica e bióloga de formação, trabalhavam em projetos na área da Cultura, mas, com a crise, foram “obrigadas” a mudar o rumo das suas vidas e a criar o seu próprio negócio.

No final do ano passado, abriram uma empresa e, em fevereiro, arrancou a sua unidade de fabrico dos sabonetes, situada na periferia de Évora e que mais parece uma cozinha, devido aos utensílios que utilizam.

No mercado há pouco mais de três meses, o “Olivae” está à venda em cerca de 30 lojas e mercearias do país e também numa de Barcelona (Espanha), além de em vários hotéis, mas as duas empresárias querem “chegar mais longe”.

“Estamos a estabelecer contactos com outros países, sobretudo do norte da Europa, onde o preço de venda ao público é três vezes superior” ao praticado em Portugal e a empresa já tem distribuidores em Espanha e na Europa do Leste, disse à agência Lusa Carla Janeiro.

A ideia, contou a empresária, surgiu “há mais de dois anos, com a perspetiva de aproveitar a folha da oliveira”, mas depois observaram que “as suas propriedades não se mantinham após o processo de produção do sabonete”.

Foi então que decidiram “incorporar” o leite de cabra serpentina e o azeite de Portel, “ingredientes que existem na região e que são muito apreciados em cosmética”, recordou.

A cabra serpentina, realçou Carla Janeiro, é uma raça autóctone portuguesa que “tem maior expressão no sul” do país e, como “está em vias de extinção”, o sabonete produzido com o seu leite “acaba por valorizar a raça”.

São os ingredientes utilizados na sua confeção que distinguem este sabonete de outros, já que o azeite virgem “tem propriedades hidratantes e emolientes” e o leite de cabra “tem vitaminas que são boas para assegurar o bom estado da pele”, afirmou.

“O fator distintivo é a qualidade dos ingredientes, mas também o uso do leite de cabra e do azeite”, corroborou Elza Pais.

As empresárias pretendem, para já, criar “uma boa rede de pontos de venda”, tanto em Portugal como no estrangeiro, e só depois avançar para outros produtos, como cremes corporais, de rosto e de mãos, recorrendo aos mesmos ingredientes de base.

Os sabonetes “Olivae” são aromatizados com tomilho bela-luz, alecrim e rosmaninho, embora haja um que é produzido sem aroma.