Num comentário do seu serviço de investidores, a Moody’s sublinha que o parecer do Tribunal Constitucional (TC) “não era inesperado”, por não ser a primeira vez que foram declaradas inconstitucionais algumas normas orçamentais, mas considera que a decisão “complicou a tarefa de consolidação orçamental”.

“Dado o elevado nível de despesas e as enormes subidas de impostos aplicadas nos últimos anos, consideramos que vai ser difícil, materialmente e consistentemente, reduzir o défice orçamental nos próximos anos se o governo não conseguir controlar as principais despesas”, alerta a agência de notação financeira. Mesmo assim acredita que o défice de 4% em 2014 continua a ser possível.