Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Decore a data: de sexta a segunda-feira, cozinheiros amadores e profissionais reúnem-se num congresso que, na décima edição, vai ocupar a Lx Factory, em Lisboa. O CNC 2014 vai ter 500 participantes e é um palco de apresentação para novas técnicas e produtos, mas não só. Aulas de cozinha, almoços e jantares temáticos, além de demonstrações nas quais chefs partilham segredos entre si, perfazem o convite. Curioso/a?

“Há dez anos, sentimos a responsabilidade de reunir a classe de cozinheiros existente no país. Era um momento de transição, estávamos na iminência de um pico gastronómico em Portugal: chefs cheios de fulgor estavam a abrir os primeiros restaurantes próprios”, recorda Paulo Amado ao Observador. O diretor geral da Edições do Gosto, entidade organizadora, conta que o congresso surge numa altura em que era urgente conciliar visões vanguardistas da gastronomia portuguesa com aquelas mais tradicionais.

Valorizar as raízes da cozinha nacional e aqueles que a praticam é, por isso, a ideia da reunião que, pela primeira vez, chega à capital: “Isto é de tal modo virado para o país que só dez anos depois parou em Lisboa”. Antes disso, esteve no Estoril, em Santarém, Guimarães, Porto e até Aveiro.

ProgramaCNC14

Programa do Congresso dos Cozinheiros – D.R

Mas as novidades não se esgotam na geografia nacional. O que até então foi um evento apenas orientado para os profissionais, abre agora as portas a todos os curiosos pela cozinha. “O crescimento do interesse por parte do público fez com que fossemos abrindo. Neste modelo, é possível ver chefs a partilhar ideias com os seus colegas; é uma oportunidade especial para as pessoas perceberem como se faz um prato daquele restaurante”, diz Paulo Amado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Do programa em questão, destaque para as aulas de cozinha que vão ficar a cargo de Isabel Zibaia Rafael, do blogue Cinco quartos de laranja, do pasteleiro Carlos Fernandes, atualmente a trabalhar no restaurante M.B, com duas estrelas Michelin, e ainda Paulo Morais (Umai), Nuno Barros (1300 Taberna) e Henrique Sá Pessoa.

Se não lhe apetecer meter as mãos na massa, há outras propostas que prometem encher as medidas a qualquer um. Ao longo do congresso serão promovidos workshops, onde é possível assistir à apresentação de diferentes técnicas, mas também harmonizações e degustações de alguns produtos propostos. À hora da refeição vai poder escolher jantar “o melhor da cozinha portuguesa”, a cargo do chef Cordeiro, ou almoçar o “cozido de Portugal”, composto por mais de 80 ingredientes.

Todas as atividades são abertas ao público, mediante inscrição prévia no site do CNC  ou através do número de telefone 218 822 992 (40 euros por um dia, 60 euros para dois; almoços e jantares por 35 euros). As atividades do CNC vão decorrer, sobretudo, no Espaço L da Lx Factory.