O Super Bock Super Rock faz 20 anos e vai levar à Herdade do Cabeço da Flauta uma festa para festivaleiro ver e ouvir. Boa música, campismo e praias nas redondezas são a garantia de três dias bem passados. O cartaz conta com 46 momentos musicais, divididos entre Palco Super Bock, Palco EDP e Palco Antena 3. E apesar dos três palcos, as sobreposições de concertos não serão uma grande dor de cabeça.

Para esta quinta-feira, 17 de julho, o nome maior são os Massive Attack, que dispensam apresentações. Mas imediatamente antes, às 22h00, há uma banda australiana a não perder. Os Tame Impala vão levar ao Meco uma mistura de rock e psicadelismo, na forma de canções como “Feels Like We Only Go Backwards”, “Apocalypse Dreams”, “Endors Toi” e “Elephant”. O concerto do Optimus Alive, no ano passado, terminou em apoteose com “Half Full Glass Of Wine”. Veremos o que Kevin Parker e companhia nos reservam desta vez.

Ainda no palco principal há o blues americano dos Vintage Trouble e as sonoridades dançáveis de Metronomy e Disclosure.

Em qualquer dos palcos há bons concertos para ver. No Palco Antena 3, destaque para Frankie Chavez. No palco EDP, ou secundário, Erlend Øye, a metade dos Kings of Convenience, e Panda Bear, projeto a solo de Noah Lennox, dos Animal Collective.

AUCKLAND, NEW ZEALAND - JANUARY 17:  Eddie Vedder of Pearl Jam performing at Western Springs Stadium during the 2014 Big Day Out Festival on January 17, 2014 in Auckland, New Zealand.  (Photo by Jason Oxenham/Getty Images)

Eddie Vedder

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na sexta-feira o cabeça de cartaz que quase levou os bilhetes a esgotarem chama-se Eddie Vedder. O vocalista dos Pearl Jam vai dar no Meco o único concerto a solo em solo europeu e o público vai poder ouvir canções dos seus dois álbuns a solo, Ukulele Songs e Into The Wild, mas também músicas dos Pearl Jam e de outras bandas (quem sabe até Beatles e Neil Young, com Eddie Vedder o alinhamento é sempre uma surpresa).

No palco EDP o destaque vai para o regresso de Chan Marshall, mais conhecida como Cat Power, que lançou em 2012 Sun, após uma ausência de quatro anos dos estúdios. No palco Antena 3, o rap da portuguesa Capicua promete atrair muita gente.

No último dia, sábado, o cartaz equilibrado traz Kasabian, Foals e The Kills como destaques no Palco Super Bock. No Palco EDP, e para quem duvida, os Dead Combo vão provar porque conseguem mostrar em festival toda a sua força. A seguir, às 00h20 sobe ao palco a dinamarquesa Oh Land. A música só termina às seis da manhã, pelas escolhas musicais do DJ Xoices.

Para lá da música

Mas neste festival de verão há mais para aproveitar. Bem perto do recinto está a praia do Meco, devendo os festivaleiros que queiram também um pouco de sol e água evitar a Lagoa de Albufeira, interdita a banhos por questões de saúde pública. O bilhete diário para o festival custa 48 euros. O passe para os três dias custa 90 euros e inclui campismo gratuito. À semelhança dos anos anteriores, haverá um supermercado no Campismo, servindo os campistas.

As portas do recinto abrem todos os dias às 16h00, e como sempre desde que o festival se instalou no Meco, o importante é chegar cedo para evitar perder o seu artista favorito por culpa do trânsito. A utilização dos transportes públicos é aconselhada pela Música no Coração, para evitar os constantes problemas de trânsito que se verificam durante o evento. A organização fez uma parceria com a Transportes Sul do Tejo (TST), com partidas da Praça de Espanha e da Gare do Oriente, em Lisboa. Para quem vai de comboio, existe ligação entre a estação de comboios de Coina e o recinto do evento. Haverá ainda autocarros TST gratuitos para a Praia de Alfarim.

Notícia corrigida às 11h00. Os Tame Impala estrearam-se em Portugal no Super Bock Super Rock, em 2011.