UGT apaziguou com as garantias dadas pela ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, que afirmou estarem assegurados os postos de trabalho, poupanças dos clientes e dinheiro dos contribuintes.

A UGT emitiu um comunicado no qual afirma que a ministra das Finanças garantiu à central sindical que “os postos de trabalho no BES estão salvaguardados e os direitos dos trabalhadores respeitados”. A UGT salienta que nesta segunda-feira “todos os trabalhadores do BES apresentar-se-ão no seu local de trabalho, da mesma forma como o fizeram até hoje, sem qualquer alteração”.

Da mesma forma, pode ler-se no comunicado que os sindicatos “serão chamados a acompanhar qualquer processo de reestruturação que vier a ter lugar, para que qualquer solução que respeite aos trabalhadores possa ser gerida e monitorizada com a maior transparência e estabilidade possíveis”.

A central sindical acrescenta ter recebido da ministra das Finanças “as garantias” de que “os contribuintes não serão penalizados, contrariamente ao que aconteceu com o BPN” e que “todos os clientes terão os seus depósitos salvaguardados, sejam quais forem os montantes das suas aplicações”.