Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O futuro do automobilismo começa este fim de semana em Pequim, quando arranca o primeiro campeonato mundial para carros 100% elétricos, a Fórmula E. Promovido pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), a categoria contará com 10 etapas em circuitos urbanos de todo o mundo, como Roma, Londres, Rio de Janeiro e Miami. Entre os pilotos participantes, encontra-se o português António Félix da Costa, além de nomes como Nicolas Prost, Sébastien Buemi, Bruno Senna, Nick Heidfeld, Nelson Piquet Jr  e Jarno Trulli.

Para a primeira temporada, as dez equipas inscritas utilizarão o modelo SRT-01E, construído pela Dallara, uma das principais fornecedoras de peças para o automobilismo. O chassi é feito de fibra de carbono e alumínio, de modo a garantir leveza e resistência em altas velocidades. O motor será fornecido pela empresa Renault e será integrado às baterias desenvolvidas pela equipa de Fórmula 1 Williams. Desta combinação, surge um carro que poderá atingir uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 3 segundos e uma velocidade máxima de cerca de 230 km/h. Tudo isto sem uma gota de gasolina.

Como a bateria elétrica dura apenas 25 minutos e as corridas têm uma hora, os pilotos terão à disposição dois carros com características diferentes: um de maior velocidade e outro com mais durabilidade. Desta maneira, os pilotos terão que fazer dois pit stops obrigatórios e, durante o processo, correr 100 metros de um modelo para outro, como acontece na tradicional corrida das 24 Horas de Le Mans.

Outra curiosidade do modelo SRT-01E é a ausência de barulho. Como os motores elétricos não emitem som, serão utilizados geradores de ruído quando os carros entrem no pit stop para alertar às equipas. A Fórmula E também investirá na interatividade, uma vez que os espetadores poderão premiar os carros com mais potência nos motores durante determinados momentos da corrida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A aposta pela energia limpa e sustentabilidade da Fórmula E não se resumirá apenas a esta nova categoria do automobilismo. Jean Todt, presidente da FIA, afirmou na entrevista de apresentação do carro que espera que as inovações tecnológicas utilizadas no modelo SRT-01E cheguem em breve aos carros comerciais.

Entre as novidades e semelhanças com um modelo da Fórmula 1, conheça como funciona um carro da Fórmula E nesta infografia.

fotografia (1)