A Inditex, empresa proprietária da marca Zara, registou lucros líquidos de 928 milhões de euros no primeiro trimestre fiscal, 2,4% menos do que no ano passado, principalmente devido aos gastos com a abertura de lojas, informou nesta quarta-feira a empresa. Em comunicado, a empresa, com sede na Galiza, explica que as vendas cresceram 6%, para 8.085 milhões de euros, tendo a depreciação de várias moedas em relação ao euro ‘tirado’ quatro pontos para o crescimento das vendas.

Se fosse tida em conta uma taxa de câmbio constante, o volume de negócios em lojas e através da Internet aumentou 11%. O EBITDA (resultados operacionais reais antes de provisões, impostos e amortizações) da Inditex, que este ano prevê investir 1.350 milhões de euros, caiu 0,4%, para 1,617 milhões de euros.

Por regiões, a Espanha foi responsável por 19,3% das vendas do grupo, valor idêntico ao do período homólogo de 2013, a Ásia representou 21,7% do volume de negócios, o continente americano caiu de 14,4 para 13,4% e no resto da Europa registou-se um aumento de 44,6 para 45,6%. As vendas da Zara e Bershka subiram 4%, para 5206 e 729 milhões, respetivamente, enquanto as da Massimo Dutti (614 milhões) e da Pull & Bear (569 milhões) aumentaram 7%.

No caso da Stradivarius, o aumento foi de 10% (509 milhões), da Zara Home foi de 23% (240 milhões), percentagem idêntica à da Oysho (187 milhões). A empresa abriu 120 novas lojas em 40 mercados e no final de julho tinha um total de 6.460 lojas em 88 países.