Ao início da noite de terça-feira explodiu um foguetão — não tripulado — com equipamento destinado à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês). Jay Bolden, porta-voz da NASA, disse à CNN que que não há vítimas a registar deste acidente, mas que os prejuízos, ainda em avaliação, serão consideráveis.

O lançamento falhado do foguetão Antares ocorreu às 18h22 (hora local) na base de Wallops Island (Virginia, EUA). Não foram detetadas quaisquer anomalias antes do lançamento, pelo que as causas do acidente estão por apurar. Este foguetão transportava a nave Cygnus, com mais de duas toneladas de equipamento científico e alguns mantimentos. O reabastecimento programado de alimentos será feito esta quarta-feira pela Agência Espacial Russa.

Esta seria a terceira missão da Orbital Sciences Corp., uma das duas empresas contratadas pela NASA para o fornecimento de material à ISS — a outra é a SpaceX — depois do fim do programa Space Shuttle. Este foi o primeiro acidente depois da concessão das missões de reabastecimento a empresas privadas.

Desta explosão resultou a perda de muita tecnologia, anos de pesquisa, desenvolvimento e construção que, embora sejam recuperáveis, custam muito dinheiro. Alguma da carga estava protegida por companhias seguradoras, mas a perda total está por apurar. O valor estimado do foguetão e carga era de 200 milhões de dólares, mas ainda tem de ser somado o resultante dos danos nas infraestruturas atingidas pelos destroços. Ainda assim, este tipo de acidentes está contemplado no contrato que a NASA fez com as companhias privadas.

Já durante a madrugada, Frank Culbertson, o vice-presidente executivo da Orbital Sciences, afirmou em conferência de imprensa que “não voltam a fazer nenhuma missão até que sejam apuradas as causas deste acidente”. Esta manhã inicia-se a perícia técnica dos destroços e a análise da telemetria. Daqui a algumas semanas deverá ser possível adiantar os primeiros dados sobre as causas do acidente.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR