A cidade de Londres é conhecida por ter alguns dos mais incríveis museus de arte do mundo. Desde a arte antiga do British Museum, ao moderno Tate, Londres tem de tudo. E agora também tem o Wynd Museum of Curiosities.

Desde pequeno que Viktor Wynd sonha em ter o seu próprio museu. Em 2009, abriu a Viktor Wynd’s Little Shop of Horrors, uma loja que depressa se tornou numa das principais fornecedoras de curiosidades e objetos ligados à História Natural. Mas o negócio não ia assim tão bem e Wynd depressa se apercebeu que em vez de vender coisas, estava antes a comprá-las.

Durante mais de uma década, Viktor Wynd comprou e acumulou uma extensa coleção de antiguidades e de objetos raros e estranhos. São essas “curiosidades” que surgem agora expostas no novo Viktor Museum of Curiosities, Fine Art and Natural History, um museu localizado no espaço de um antigo call center na rua Mare, bem no coração de Londres.

Uma bola de pêlo gigante extraída do estômago de uma vaca, os olhos de um cordeiro de duas cabeças, um frasco com esperma de baleia ou ainda um par de antigos dildos chineses, o novo Viktor Wynd Museum of Curiosities tem de tudo. “Estou a tentar meter o mundo inteiro aqui”, disse ao jornal The Guardian. “Estou tão farto dos museus contemporâneos e da sua tentativa desesperada de classificar e dar sentido às coisas”, explicou. “O mundo é uma grande e gloriosa confusão e devíamos celebrar isso”.

"Hall" de entrada da casa Bournes - Oskar Proctor

“Hall” de entrada da casa Bournes – Oskar Proctor

A coleção começou com três bebés conservados em frascos, que são ainda hoje os objetos favoritos de Wynd. Pode não achar isso, mas são coisa bonitas, a dormir pacificamente, todos enrolados”, explicou ao Guardian.

Mas Wynd é mais do que um mero colecionador. O auto-proclamado “dando” criou também a Last Tuesday Society, um “organismo social” que organiza bailes de máscaras luxuosos e saraus. O grupo conta já com 18 mil membros e Wynd pretende estender as suas atividades à organização de serões literários.

Um bilhete para o museu custa 3 libras (cerca de 4 euros) e dá direito a uma chávena de chá. Inclui também uma visita às galerias do primeiro andar, onde as exposições estarão constantemente a mudar. Atualmente, quem visitar o museu poderá ver uma exposição de pintores surrealistas ingleses. No Viktor Wynd Museum existe ainda uma sala que pode ser alugada para um jantar privado, onde os convidados podem saborear uma deliciosa refeição servida sobre um caixão que contém um esqueleto humano do século XIX e sob o olhar atento de um esqueleto de um leão, guardado dentro de uma jaula.

O estranho mundo de Wynd foi agora registado em livro. O Viktor Wynd’s Cabinet of Wonders pretende ser uma celebração da arte, da confusão e da autoindulgência, e uma defesa do lado maravilhoso do mundo, em risco de ser “higienizado”. A obra contém ainda imagens de outros locais com coleções igualmente surpreendentes, que pertenceram a colecionados (“os verdadeiros artistas”), boémios e artistas. É o caso da quinta de David McKinley, repleta de animais empalhados, do museu Casa dos Sonhos em Inglaterra ou do estúdio assustador da pintora Marcelle Hanselaar. Com fotografias de Oskar Proctor e ilustrações do Theatre of Dolls, o livro é um guia completo para um mundo maravilhoso, repleto de coisas estranhas.

1-4906-057_IMG_0769 copy

Secretária na casa Malpaquet em Londres – Oskar Proctor