“Tudo se faz com o cogumelo”, explica Alcina Cerdeira, vereadora da cultura na Câmara Municipal do Fundão, ao Observador. “Sopas, segundos pratos e até sobremesas”, acrescenta. O mote da conversa é o Míscaros – Festival do Cogumelo que pela sexta vez consecutiva vai invadir a pequena aldeia do Alcaide, no Fundão. Os cerca de 1000 habitantes vão acolher nas suas ruas e casas, entre 14 e 16 de novembro, cerca de 30 mil visitantes que querem conhecer e provar os míscaros que nascem nas encostas da Serra da Gardunha.

O cogumelo é um produto endógeno, à semelhança de outras estrelas do Fundão (como a cereja e o queijo), que vê na iniciativa um reconhecimento nacional — representa na economia local um acréscimo de 10 milhões de euros anuais. Passeios micológicos, degustações de cogumelos e até workshops são, por isso, algumas das propostas do evento a cargo da Liga dos Amigos do Alcaide, Câmara Municipal do Fundão e Junta de Freguesia do Alcaide.

A gastronomia regional é o foco (indiscutível) de atenção durante os três dias de festa: há live cookings com a assinatura de chefs conceituados, como Vincent FargesMiguel Laffan, mas são as tasquinhas improvisadas que marcam a diferença. Mais de 50 moradores vão abrir as portas de suas casas e cozinhar a gosto receitas particulares com cogumelos à mistura. Isto porque o festival, conta Alcina Cerdeira, envolve toda a comunidade desde há seis anos: “As pessoas preocupam-se muito com as ‘tasquinhas’, têm um cuidado extraordinário e chegam a decorar os espaços. Cada uma quer ter a melhor ‘tasquinha’ do festival”.

É uma questão de “turismo experimental”, diz ainda a vereadora. A iniciativa proporciona sensações e exemplo disso são os dois passeios micológicos que se realizam no sábado, 15, e no domingo, 16. O último é seguido de um almoço em larga escala que espera sentar à mesa cerca de 2,000 pessoas (o custo de participação é simbólico; 1 euro por pessoa). A segurança alimentar não foi esquecida e, garante a organização, é um ponto prioritário no festival, sendo que o controlo de qualidade vai ser realizado por uma entidade externa certificada.

E enquanto se come há música ambiente, até porque a animação de rua é constante e está a cargo de diferentes grupos nacionais e estrangeiros, muitos deles oriundos do vizinho ibérico. Do programa constam ainda exposições de fotografia, mostras de artesanato e um espaço dedicado a crianças, a Miscolândia. A par do festival, entre os dias 10 e 23 de novembro acontece a Mostra Gastronómica Fundão, Aqui Come-se Bem – Sabores do Cogumelo, em 16 restaurantes do concelho do Fundão e com 15 restaurantes aderentes.