As letras e acordes das músicas do cantor jamaicano Bob Marley são canónicas na cultura rastafari. E tem milhões de fãs em todo o mundo. Agora, Bob Marley está prestes a ser a face da primeira marca internacional de marijuana, conta o Guardian.

A família da estrela mundial do reggae já falecida decidiu juntar-se a uma empresa privada para lançar a marca de marijuana Marley Natural, que vai oferecer variedades de “canabis jamaicana” baseadas nos gostos do cantor.

“O meu pai iria ficar tão contente de ver as pessoas a compreender o poder curativo da erva [marijuana]”, disse Cedella Marley, filha do cantor, em declarações ao Guardian. “Ele via a erva como algo espiritual que podia despertar o nosso bem-estar, aprofundar as nossas reflexões, ligar-nos à natureza e libertar a nossa criatividade”, acrescentou. De acordo com a filha de Bob Marley, a marca é “uma forma autêntica de honrar o seu legado”.

Até ao final do ano, a marca vai começar a ser distribuída nos países onde é legal o seu consumo. A empresa, que pertence à Privateer Holdings e está sediada em Nova Yorque, negocia exclusivamente com produtos da indústria da marijuana – vende cremes, loções e acessórios inspirados na marijuana ou no cantor.

“Provavelmente, não existe melhor ícone cultural ligado à canabis que o Bob Marley”, disse Brenda Kennedy, chefe executivo da Privateer Holdings, ao Guardian.”Ele chamava à canabis a erva e ele disse que a erva está a curar a nação. Ele não estava a falar sobre um país, estava a falar sobre a humanidade.”

Desde que o cantor morreu em 1981, a sua fama não diminuiu. Nem as suas músicas foram esquecidas. De acordo com Financial Times, em 2013 a marca Bob Marley rendeu 20 milhões de dólares, tornando-o uma das celebridades do mundo já falecidas que mais dinheiro continua a gerar. Na lista da Forbes, está à frente de Marilyn Monroe ou John Lennon.