No verão a bola não rola muito. Em julho e agosto, sobretudo. Aí é tempo de descanso, de praia, de arranque de pré-época ou de uns quantos amigáveis para tirar o pó às pernas. Em casa, o adepto espera. Aguarda por novidades. É isso que anima as semanas em que o futebol ainda está em águas de bacalhau — as caras novas que chegam ou podem chegar ao clube. Contratações. É aí que os adeptos querem ver milhões a serem gastos. E bem, de preferência.

Para esta temporada de 2014/15, os três clubes que o número de títulos e taças tornaram grandes gastaram, em conjunto, 90,8 milhões de euros em contratações. É muito dinheiro. O FC Porto liderou esta corrida, com cerca de 43,3 milhões gastos, dizem as contas do site transfermarkt.com. Depois aparece o Benfica, com 36 milhões e, por fim, o Sporting, com os 11,5 milhões de euros que utilizou para ir às compras.

Quando tempo é de pegar nos euros e gastá-los, as alcunhas não servem de muito a dragões, águias e leões — pela Europa fora, não são, nem de perto, os que mais dinheiro gastam em contratações. Vamos aos exemplos.

Na Alemanha, a equipa que, na Bundesliga, está no primeiro dos lugares que escapa à descida de divisão (15.º), o Hamburgo, gastou à volta de 29,3 milhões de euros a contratar jogadores no último verão. O clube que está na mesma situação por Inglaterra, o Hull City, foi ainda mais gastador: usou 42 milhões para cativar jogadores a ingressarem na equipa que mora no 17.º posto do campeonato. É aqui, nesta liga, aliás, que está a novidade.

Agentes

A Premier League revelou este sábado que, em 2014/2015, os 20 clubes que andam à bulha no principal campeonato do futebol britânico, em conjunto, gastaram 144,7 milhões de euros. Em quê? Empresários. Ou melhor, em comissões pagas a agentes de jogadores. Ou seja, o que os três grandes portugueses gastaram a comprar jogadores corresponde apenas a 62,7% do montante que os clubes da Premier League usaram com representantes de jogadores.

Desde 2009/10 que a organização da prova obriga os clubes da principal divisão do futebol inglês a divulgarem as verbas que, inseridas nos negócios de transferências de jogadores, utilizaram no pagamento de comissões aos seus representantes. E o clube que mais dinheiro gastou nisto foi o Chelsea. A equipa londrina, treinada por José Mourinho, utilizou 21 milhões de euros.

Já o Liverpool, que terminou na segunda posição da última edição do campeonato, gastou 17,9 milhões, enquanto o Manchester City, terceiro nesta lista, pagou 17 milhões de euros a empresários. Os valores correspondem a quantias gastas entre 1 de outubro de 2013 e 30 de setembro deste ano.