802kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Koh Rong, o paraíso barato do Cambodja

Este artigo tem mais de 5 anos

Praias de água cristalina e finas areias brancas. Koh Rong tem tudo o que as mais famosas ilhas do Sudeste Asiático têm menos a confusão e turismo desenfreado. Mas por pouco tempo.

6 fotos

Até há uns anos, contavam-se talvez pelo dedo das mãos os turistas que já tinham ouvido falar de Koh Rong. Situada no Golfo da Tailândia, muito perto do Cambodja, a ilha não tinha qualquer notoriedade.

Além de notoriedade, a ilha não tinha também as mais básicas estruturas de saneamento e eletricidade. Que, aliás, ainda não tem por completo. Alguns hostels da ilha ainda não têm casa de banho, por exemplo, mas permitem dormir quase em cima do mar por preços muito acessíveis, que têm atraído cada vez mais turistas de mochila às costas da Europa, dos Estados Unidos e da Austrália.

Mas não só de backpackers se faz a vida de Koh Rong. Em 2013, a versão francesa de Survivor foi gravada lá, este ano, já as televisões búlgara, espanhola e norte-americana se deslocaram à ilha para produzir as suas versões do programa, no qual um conjunto de concorrentes é deixado à sua sorte.

Ou seja, aquele que parece ser um dos últimos paraísos do Sudeste Asiático está a começar a ganhar fama e a ser ameaçado. “Havia perto de 300 turistas na ilha em qualquer altura no ano passado; agora há mais de 700”, escreve Lisette Cheresson para o site mundial de viagens Matador.

“Koh Rong ainda é a última festa autêntica do Sudeste Asiático, mas é também o espelho do que o fluxo de turismo  e o desenvolvimento desregulado e irrestrito pode fazer a um sítio em desenvolvimento”, afirma.

Segundo o El Mundo, “as melhores praias da ilha”, que são 28, “estão na costa ocidental sul, totalmente desabitada”. Entre elas, o jornal espanhol destaca Sok San, “sete quilómetros de finas areias brancas banhadas por calmas águas esmeralda”. Foi nesse local que a produtora francesa do Survivor decidiu montar a sua base – com capacidade para 150 pessoas.

Koh Rong está, assim, na fronteira entre destino turístico paradisíaco e destino turístico sobrelotado. “Enquanto a verdadeira festa – a busca do prazer real – acaba, a outra festa está apenas a começar”, avisa Lisette Cheresson.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar
Junte-se ao Presidente da República e às personalidades do Clube dos 52 para uma celebração do 10º aniversário do Observador.
Receba um convite para este evento exclusivo, ao assinar um ano por 99€.
Limitado aos primeiros 100 lugares
Assinar agora Ver programa