O Museu Benfica – Cosme Damião, em Lisboa, foi distinguido nesta sexta-feira com o Prémio Museu Português 2014, atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM), anunciou esta entidade. De acordo com o palmarés hoje anunciado pela APOM, em Lisboa, o Museu da Imprensa, na Madeira, e o Museu do Vinho e da Vinha, em Bucelas, receberam menções honrosas nesta categoria, que distingue o melhor museu português do ano.

A APOM, entidade dedicada à museologia, atribui os prémios anualmente, desde 1997, a museus, projetos, profissionais e atividades desenvolvidas no setor. Os prémios são referentes ao ano anterior à atribuição. O Museu Benfica – Cosme Damião, o Museu da Imprensa, na Madeira, e o Museu do Vinho e da Vinha, em Bucelas, eram os três nomeados para o Prémio Museu Português 2014, um dos principais galardões atribuídos pela APOM no setor da museologia nacional.

O Museu do Benfica foi inaugurado em julho de 2013 no exterior do Estádio da Luz, em Lisboa, para dar a conhecer a história do Sport Lisboa e Benfica. Batizado com o nome do fundador, jogador e dirigente Cosme Damião (1885-1947), o museu está dividido em 29 áreas temáticas e reúne cerca de um milhar de troféus conquistados pelas diferentes modalidades do clube. Possui uma coleção de 20 mil objetos e documentação ligada à história do Benfica, inseridos num percurso que evoca o contexto sociocultural de Portugal.

O Museu da Imprensa, na Madeira, inaugurado em janeiro de 2013, está instalado no centro da cidade de Câmara de Lobos, e tem em exposição um espólio de máquinas provenientes de várias tipografias regionais, algumas ligadas à impressão de jornais. Localizado no concelho de Loures, o Museu do Vinho e da Vinha, na zona histórica de Bucelas, foi outro dos nomeados este ano pela APOM nesta categoria, tendo recebido uma menção honrosa.

O edifício ocupado pelo museu é datado do final do século XIX e foi a residência de um dos maiores produtores de vinho de Bucelas, pertencente à família Camilo Alves, possuindo uma adega e um armazém de vinhos que foram recuperados e adaptados ao espaço museológico.

Foi inaugurado em julho de 2013, e possui um centro de documentação, serviços educativos, uma loja, uma sala de prova de vinhos e um Centro de Interpretação das Linhas de Torres. Os vencedores e menções honrosas, em 26 categorias, foram hoje anunciados durante a tarde, numa cerimónia realizada no Museu da Farmácia, em Lisboa.

No ano passado, os vencedores da categoria Melhor Museu Português foram, em exaequo, o Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, e o Museu do Ar, em Sintra. Os prémios são atribuídos pela APOM — fundada em 1965 – para incentivar o espírito de preservação e divulgação do património dos museus, segundo a associação, distinguindo ainda, entre outros, a melhor intervenção e restauro, o melhor catálogo, mecenato e projeto museográfico.