Um ano depois da morte de Eusébio, um dos melhores jogadores da história de futebol, um grupo de deputados está a ultimar a proposta para transladar o corpo para o Panteão Nacional. Esta iniciativa foi sugerida logo após o falecimento do benfiquista, mas a sua concretização vai acontecer até ao fim desta semana, segundo apurou o Observador. O Benfica considera que esta é uma iniciativa, que por ser “tão consensual”, está nas mãos da Assembleia da República.

A proposta de transladação de Eusébio para o Panteão Nacional está a ser ultimada por um grupo de deputados no Parlamento, procurando reunir o maior número de apoios possível tanto à esquerda como à direita. O Observador sabe que os deputados têm vindo a tentar reunir apoios “de forma discreta”, segundo relatou fonte parlamentar. A proposta deverá ser apresentada já esta quarta-feira na conferência de líderes que reúne as várias bancadas parlamentares ou será ultimada até ao fim da semana e apresentada posteriormente.

No ano passado, a questão da transladação do futebolista foi discutida entre os líderes parlamentares e foi um tema consensual entre todos os partidos, no entanto, a proposta só pode ser feita um ano após o falecimento da figura de relevo a transladar para o Panteão Nacional – que acolhe algumas das personagens mais relevantes da história do país. A conferência de líderes, mediante a apresentação do projeto de resolução, deve então marcar uma data para a aprovação desta transladação em plenário.

A última transladação para este monumento foi a da poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen. O projeto de resolução foi apresentado pelo PSD e pelo PS no dia 14 de fevereiro de 2014 e aprovado por unanimidade a 20 de fevereiro – a cerimónia viria a ocorrer em julho. Um dos proponentes desta transladação foi o deputado social-democrata, Nuno Encarnação, que disse ao Observador que cabe “normalmente” aos deputados este tipo de iniciativas.

O Benfica partilha esta opinião e por isso não pretende apresentar qualquer iniciativa para promover a integração do antigo jogador entre as figuras do Panteão Nacional. “Aquando da morte de Eusébio, a iniciativa das transladação foi tão consensual que o Benfica considera que esta decisão está nas mãos dos deputados da nação”, respondeu fonte oficial do clube ao Observador.

Após a aprovação da transladação em plenário, é constituído um grupo de trabalho composto por representantes de cada grupo parlamentar com a incumbência de “determinar a data, definir e orientar o programa da trasladação, em articulação com as demais entidades públicas envolvidas”, segundo estabeleceu Assunção Esteves em Diário da República no caso da poetisa Sophia de Mello Breyner.