A 72º edição dos Globos de Ouro trouxe cortes clássicos, joias distintas e o domínio de decotes fundos. Na passadeira vermelha desfilaram estrelas do pequeno e grande ecrã, desde o cast da longa-metragem “Gone Girl” aos protagonistas (e “residentes”) da série televisiva “Downton Abbey”. No rescaldo dos prémios, com “Boyhood” a ser o grande vencedor da noite ao arrecadar três distinções, a atenção vira-se, agora, para quem usou o quê.

Por partes. Esta foi a grande estreia de Amal Alamuddin na passadeira vermelha. A Sra. Clooney optou por levar um vestido clássico da casa Dior que, apesar da elegância, foi ofuscado pelas luvas brancas que completaram o visual. As críticas não se fizeram esperar, com o Independent a escrever que foi uma estranha escolha para um acessório. Diz ainda Elizabeth Holmes, do Wall Street Journal, que Amal parecia estar a ir para os Óscares ou, pior, para um baile de finalistas.

Se em 2014 Lupita Nyong’o comandou as atenções nos Globos de Ouro, com um Ralph Lauren que chegou a ser considerado um dos melhores vestidos do ano, o feito não se repetiu no último domingo. A atriz desfilou num Giambattista Valli que a dominou por completo, retirando brilho à presença da já galardoada com um Óscar de Melhor Atriz Secundária pela participação no filme “12 Anos Escravo”.

Keira Knightley também foi criticada pelo Chanel “modesto e estranho” (concebido por um total de 30 pessoas, levou uma semana a ficar concluído), diz o Wall Street Journal, bem como Rosamund Pike, estrela de “Gone Girl — o Vera Wang escolhido não lhe caiu na perfeição, ainda que a imprensa internacional insista em constatar que a atriz foi mãe há pouco tempo.

“É uma triste ocasião quando Claire Danes entra na lista das piores vestidas”, diz ainda o Eonline, que desaprova a peça com o cunho da casa Valentino usada pela estrela da série televisiva “Homeland”. Lena Dunham voltou a fazer das suas, ao ser rotulada com o pior vestido da noite, e Lana Del Rey não se terá portado muito melhor.

Mas nem só de “desastres” de alta-costura se fez a noite. Na lista das melhores vestidas estão Sienna Miller, cujo vestido Miu Miu combinou na perfeição com o penteado “Bob”, Naomi Watts com joias Bulgari que deram uma pitada de glamour ao já elegante e alegre Gucci, e ainda Lorde, num Narciso Rodriguez, e Emma Stone, com um jumpsuit da Lanvin.

Depois do glamour, a solidariedade

George Clooney e Amal Alamuddin foram algumas das estrelas que mostraram o seu apoio para com o semanário francês Charlie Hebdo, que foi alvo de um atentado do qual resultaram 12 mortos, incluindo dez membros da redação. O casal aproveitou a ocasião para fazer uma declaração política ao usar crachás com a frase “Je suis Charlie”.

https://twitter.com/1001ptsUK/status/554609819769126912

Também Helen Mirren juntou-se à causa, ao trazer para a passadeira vermelha um cartaz com a mesma mensagem; Joshua Jackson, Diane Kruger, Patricia Arquette e Kathy Bates seguiram o exemplo, fazendo do evento uma plataforma pública para demonstrar o seu apoio, escreve o jornal britânico Independent.