Já existem muitas ferramentas para facilitar a vida às pessoas cegas ou com visão muito reduzida (amblíopes). A tecnologia veio permitir que os invisuais tenham uma vida mais fácil mas ainda são muitas as limitações no dia-a-dia. E não são apenas barreiras físicas, elas revelam-se nas pequenas coisas. Por exemplo, como saber qual o prazo de validade de uma embalagem de leite?

Uma associação dinamarquesa desenvolveu uma aplicação para smartphone para ajudar os invisuais nestas tarefas. Chama-se Be My Eyes (“sê os meus olhos”) e o nome é autoexplicativo. Através de uma simples chamada de vídeo, os ajudantes (visuais) podem ajudar um cego ou amblíope a resolver inúmeras tarefas.

Quando um invisual precisar de ajuda só tem de abrir a aplicação e fazer um pedido, ou seja, uma chamada de videoconferência. E é aqui que está uma das grandes funcionalidades do sistema: se receber uma notificação e não puder atender (quando estiver a conduzir, por exemplo), não fique com peso na consciência, pois a chamada é automaticamente redirecionada para outro ajudante.

O número é um fator importante, porque quanto mais ajudantes estiverem registados mais fácil será para a plataforma encontrar alguém capaz de responder a uma chamada. Nesta data são já 55 mil os ajudantes disponíveis para ajudar os quase 4.500 invisuais registados.

O Be My Eyes está para já disponível apenas para iOS (em breve nos sistemas Android e Windows Phone) e o registo é muito simples. A aplicação é a mesma para ajudantes e invisuais, o processo inicial guia o utilizador para a respetiva área. A linguagem por definição é o inglês, mas nas configurações é possível escolher outro idioma no qual se dispõe a responder — o português está na lista.

Esta nova aplicação, criada por uma organização sem fins lucrativos sediada em Copenhaga, é gratuita. Mas na página oficial pode ler-se que os fundos disponíveis garantem o serviço até setembro de 2015, pelo que está a ser equacionado um sistema de subscrição se entretanto os donativos não chegarem.