O Partido Socialista vai propor o fim do atual processo de privatização da TAP, considerando que o caderno de encargos não tem garantias jurídicas e que tem inconsistências, noticia o Diário Económico. A Assembleia da República debate o decreto-lei que estabelece a privatização da companhia aérea esta tarde.

O debate foi pedido pelo PS, que considera que “uma privatização que não garanta uma posição de controlo na TAP e seja uma privatização de 100%, a dois tempos, deixa-nos nas mãos de interesses e economias de grande escala que não coincidem com os interesses portugueses e os da nossa economia”.

O processo, consideram os socialistas, não está a ser bem conduzido e tem de ser analisado mais de perto, e como tal decidiram trazer o decreto-lei que estabelece a privatização a debate.

Ao Diário Económico, o socialista Rui Paulo Figueiredo adiantou ainda esta tarde que o PS vai pedir a revogação do decreto-lei, que decretaria por sua vez o fim do atual processo de venda da companhia aérea.