Existem 1845 empresas portuguesas que são as “melhores das melhores”, mais 67% das que existiam no ano passado. Esta segunda-feira, o IAPMEI – Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação atribuiu o estatuto de PME Excelência a 1845 organizações depois de uma seleção feita pelo IAPMEI e pelo Turismo de Portugal. 

Predominantemente pequenas, com uma média de 38 trabalhadores, estas organizações são, na sua maioria (mais de 60%), exportadoras e atuam, sobretudo, no setor industrial, representando mais de 36% do universo PME Excelência. As “melhores das melhores” exportam mais de 25% do seu volume de negócios e estão distribuídas por vários distritos, com especial enfoque para Porto, Lisboa, Aveiro e Braga. Estes distritos concentram mais de 60% das distinções.

A indústria é o setor com mais empresas distinguidas – 653 – e lidera no emprego. Destas, 98% pertencem à indústria transformadora. Em média, cada uma das PME Excelência do setor industrial emprega 49 pessoas. No total, as empresas deste setor são responsáveis por 32 mil empregos, o volume de negócios rondou, em média, 5,4 milhões de euros e as exportações cresceram mais de 12,5%. A maioria (mais de 64%) das PME Excelência estão no Norte: em Aveiro, Porto e Braga

O comércio é o segundo setor com mais empresas distinguidas, quase 29% do total (530 empresas), e é, também, o setor com maior produtividade – as vendas por colaborador destas empresas chegam perto dos 250 mil euros. Responsáveis por mais de 12,7 mil empregos, o volume de negócios destas organizações rondou 5,7 milhões de euros e as exportações aumentaram 12,4%.

O turismo tem uma quota de 13% do universo Excelência e é aquele que regista uma maior subida nas exportações, com um crescimento médio de 75%. É também o setor que apresenta a maior evolução em todos os indicadores de desempenho, num ano. Na rendibilidade dos capitais próprios, subiu 116%; na rendibilidade do ativo, subiu 133% e, na rendibilidade das vendas subiu perto de 80%. As “melhores das melhores” no turismo são responsáveis por sete mil postos de trabalho. Cada uma emprega cerca de 30 pessoas, em média.  

No geral, as PME Excelências distinguidas em 2015 melhoraram os resultados de vendas numa média superior a 15%, quando a média nacional foi de 1%. O EBITDA cresceu perto de 28% – quando a média nacional foi de 12% – e a rendibilidade de capitais próprios foi de 17,5% – quando a média nacional se situa nos 3%. No que diz respeito à autonomia financeira, o desempenho também é melhor do que no resto do universo empresarial: 54%, 24, 5 pontos percentuais acima da média. Os ativos totais aumentaram 10%, o volume das exportações aumentou 16% em média.

O PME Excelência é um estatuto de qualificação empresarial criado pelo IAPMEI, numa parceria com o Turismo de Portugal e nove bancos. As candidaturas foram efetuadas em 2014, pelo que os dados apresentados se referem a 2013.