Mais um facilitador de negócios em Belém? Francamente, ó PS“. Este é o título de um post do antigo deputado e secretário de Estado socialista Alfredo Barroso, em que este critica o facto de o secretário-geral do Partido Socialista, António Costa, ter dito que “António Vitorino tem todas as qualidades para poder ser um excelente Presidente da República”. O histórico socialista, que foi também chefe da Casa Civil na presidência de Mario Soares (de quem é sobrinho), diz que “mudam as moscas, mas… só elas“.

Alfredo Barroso percorre, num post publicado domingo na rede social Facebook, a carreira de António Vitorino. Lembra que Vitorino é “advogado desde 1982, é sócio da poderosa firma de advogados Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados”. Mas é, também, “administrador da Siemens Portugal, presidente das assembleias gerais da Brisa, da Finipro, da Novabase e do Banco Caixa Geral Totta de Angola (BCGTA), e preside à Fundação Res Pública, ligada ao PS”.

António Vitorino – lembra Alfredo Barroso – “aderiu ao partido ainda jovem, mas acabou por se integrar, sucessivamente, em grupos dissidentes do PS, como a Frente Socialista Popular (FSP) de Manuel Serra, o Movimento Socialista Unificado (MSU) e a União da Esquerda para a Democracia Socialista (UEDS) de Lopes Cardoso”. Vitorino foi, ainda, juiz do Tribunal Constitucional, deputado ao Parlamento Europeu e Comissário Europeu e, diz Alfredo Barroso, “é membro da organização maçónica Grande Oriente Lusitano (GOL)”.

“Tudo isto é público e consta da Wikipédia”, escreve o antigo chefe da Casa Civil de Mário Soares, que apoiou o Bloco de Esquerda nas eleições europeias de 2014. “Mas também se lê com vantagem o que sobre ele se diz – e diz-se muito! – no livro de Gustavo Sampaio «Os Facilitadores ou como a política e os negócios se entrecruzam nas Sociedades de Advogados». Os socialistas neoliberais são mesmo assim…”, nota Alfredo Barroso.

“Como diz «O Leopardo» de Tomasi di Lampedusa, «é preciso que alguma coisa mude para que tudo fique na mesma». Ou, na versão muito rasteira tipicamente portuguesa, «mudam as moscas, mas…» só elas!”, remata o histórico socialista.

“António Vitorino é o Proença de Carvalho do PS”

Alfredo Barroso diz que “António Vitorino é o Proença de Carvalho do PS”. Em declarações ao jornal i, o histórico socialista diz que uma escolha por António Vitorino seria “um erro tremendo”. “António Vitorino é politicamente muito competente, mas há muitos anos que está envolvido no mundo dos negócios, pertence a uma sociedade de advogados poderosa, participou em privatizações, ocupa vários lugares de administração em várias empresas”.

Além disso, “é administrador dos CTT, uma privatização que o PS condenou”.