Eleições Presidenciais

António Vitorino é um “facilitador de negócios”, diz Alfredo Barroso

960

"Francamente, ó PS", escreve Alfredo Barroso no Facebook. O antigo deputado socialista e chefe da Casa Civil de Mário Soares diz que António Vitorino seria "mais um facilitador de negócios em Belém".

Alfredo Barroso diz que "António Vitorino é o Proença de Carvalho do PS".

Mais um facilitador de negócios em Belém? Francamente, ó PS“. Este é o título de um post do antigo deputado e secretário de Estado socialista Alfredo Barroso, em que este critica o facto de o secretário-geral do Partido Socialista, António Costa, ter dito que “António Vitorino tem todas as qualidades para poder ser um excelente Presidente da República”. O histórico socialista, que foi também chefe da Casa Civil na presidência de Mario Soares (de quem é sobrinho), diz que “mudam as moscas, mas… só elas“.

Alfredo Barroso percorre, num post publicado domingo na rede social Facebook, a carreira de António Vitorino. Lembra que Vitorino é “advogado desde 1982, é sócio da poderosa firma de advogados Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados”. Mas é, também, “administrador da Siemens Portugal, presidente das assembleias gerais da Brisa, da Finipro, da Novabase e do Banco Caixa Geral Totta de Angola (BCGTA), e preside à Fundação Res Pública, ligada ao PS”.

António Vitorino – lembra Alfredo Barroso – “aderiu ao partido ainda jovem, mas acabou por se integrar, sucessivamente, em grupos dissidentes do PS, como a Frente Socialista Popular (FSP) de Manuel Serra, o Movimento Socialista Unificado (MSU) e a União da Esquerda para a Democracia Socialista (UEDS) de Lopes Cardoso”. Vitorino foi, ainda, juiz do Tribunal Constitucional, deputado ao Parlamento Europeu e Comissário Europeu e, diz Alfredo Barroso, “é membro da organização maçónica Grande Oriente Lusitano (GOL)”.

“Tudo isto é público e consta da Wikipédia”, escreve o antigo chefe da Casa Civil de Mário Soares, que apoiou o Bloco de Esquerda nas eleições europeias de 2014. “Mas também se lê com vantagem o que sobre ele se diz – e diz-se muito! – no livro de Gustavo Sampaio «Os Facilitadores ou como a política e os negócios se entrecruzam nas Sociedades de Advogados». Os socialistas neoliberais são mesmo assim…”, nota Alfredo Barroso.

“Como diz «O Leopardo» de Tomasi di Lampedusa, «é preciso que alguma coisa mude para que tudo fique na mesma». Ou, na versão muito rasteira tipicamente portuguesa, «mudam as moscas, mas…» só elas!”, remata o histórico socialista.

“António Vitorino é o Proença de Carvalho do PS”

Alfredo Barroso diz que “António Vitorino é o Proença de Carvalho do PS”. Em declarações ao jornal i, o histórico socialista diz que uma escolha por António Vitorino seria “um erro tremendo”. “António Vitorino é politicamente muito competente, mas há muitos anos que está envolvido no mundo dos negócios, pertence a uma sociedade de advogados poderosa, participou em privatizações, ocupa vários lugares de administração em várias empresas”.

Além disso, “é administrador dos CTT, uma privatização que o PS condenou”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)