A Inspeção-Geral do Ministério da Segurança Social vai auditar a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) no período do primeiro mandato de Santana Lopes como provedor daquela instituição. A auditoria, diz o Expresso, estará sobretudo focada na aquisição de serviços, bens e empreitadas durante os anos de 2012 a 2014, e chegou ao conhecimento de Santana pouco tempo antes de este adiar para outubro uma decisão sobre a candidatura presidencial.

De acordo com o semanário, o ministro da Segurança Social Pedro Mota Soares informou a Santa Casa – mas não diretamente Santana – de que assinou a auditoria em conjunto com outros documentos, refutando assim qualquer leitura política do facto. O assessor de imprensa de Mota Soares disse mesmo que tais auditorias são normais e que, nos últimos anos, foram abertos dezenas destes processos, pelo que associar este facto à decisão de Santana de adiar o anúncio da candidatura não pode ser feito.

O mandato de Santana Lopes à frente da Santa Casa tem enfrentado diversos casos polémicos. Em agosto, o Público noticiou que, nos últimos cinco anos, o conselho de auditoria interna emitiu pareceres sucessivos em que alertava para o facto de a “sustentabilidade futura” da instituição não estar garantida. Seguiram-se depois notícias sobre contratos suspeitos na área da saúde (que um inquérito interno desvalorizou) e ainda sobre alegadas preferências de Santana por militantes do PSD e do CDS para cargos de gestão.