O bilionário Sir Richard Branson foi processado pelo administrador executivo da Norwegian Cruise Line. Segundo a companhia de cruzeiros norueguesa, o grupo Virgin de Branson roubou as suas ideias e planos de negócio para se afirmar no ramo.

Colin Veitch, que foi responsável pela Norwegian entre 2000 e 2008, e a sua empresa VSM Development estão a pedir cerca de 280 milhões de euros em danos e pretendem que o juiz impeça a Virgin de lançar a sua nova aposta de um cruzeiro em Miami.

A ação judicial alega que a companhia de Richard Branson negou um acordo com Veitch, em maio de 2011, sobre o modo como os lucros iriam ser repartidos. O então responsável pela Norwegian Cruise Line não receberia nada se o super-cruzeiro com capacidade para 4.200 passageiros não fosse lucrativo, mas podia ganhar quase 300 milhões de euros no caso contrário.

Um porta-voz do conglomerado Virgin disse que a empresa, bem como Richard Branson “olharam para o mercado dos cruzeiros nos anos 70 e a atual equipa está a explorar esta oportunidade por mais de uma década”. E acrescenta que, ao longo dos anos e até 2012, debateu o assunto com a Norwegian. “Acreditamos vivamente que as queixas não têm valor”, conclui a Virgin.

Em declarações ao The Telegraph, Richard Branson afirmou que está envolvido na construção de dois cruzeiros gigantes, num plano ambicioso para penetrar no mercado dos cruzeiros. Os barcos vão ser construídos na Alemanha ou na Itália com um custo que ronda 1,5 mil milhões de euros. “Estamos na fase final das negociações”, conta o bilionário.