Pedro Passos Coelho é o único líder partidário que não participa na campanha para as eleições regionais da Madeira, que arranca este domingo. Alberto João Jardim – com quem Passos não tinha uma boa relação – já não é candidato a presidente do Governo Regional da Madeira, mas isso não é suficiente para levar o presidente do PSD ao arquipélago.

O PSD regional, que espera mesmo com a mudança de líder alcançar uma maioria absoluta, não quer dirigentes do continente. “Somos um partido muito regional. Sempre foi assim”, afirmou ao Observador o secretário-geral do PSD-Madeira, Rui Abreu. A ausência de Passos “não é estranha”, reiterou, lembrando que o primeiro-ministro esteve há pouco tempo na Madeira, aquando do congresso regional que consagrou Albuquerque como sucessor de Jardim. Foi, aliás, um momento simbólico pois há muitos anos que um líder nacional do PSD não ia a um congresso regional.

Em contrapartida, o líder do CDS, Paulo Portas, estará na segunda-feira na Madeira. O presidente centrista “participará solidariamente com o CDS Madeira como é normal. A campanha é evidentemente regional e destina-se a eleger o Parlamento regional e isso será totalmente respeitado. Mas Paulo Portas sempre ajudou e compreendeu a autonomia do CDS-Madeira e tem grande admiração pelo seu líder, José Manuel Rodrigues”, afirmou ao Observador fonte próxima de Portas.

O CDS foi, nas últimas eleições, o partido da oposição mais votado, ficando à frente do PS. Teve 17,6% dos votos (nove lugares) e o PS 11,5% (seis lugares). Os socialistas ainda tentaram propor uma aliança com os centristas, que recusaram. Mas com a mudança de liderança no PSD e o desgaste do CDS nacional pelo facto de estar no Governo, o partido de Paulo Portas arrisca perder o segundo lugar para o PS desta vez.

O secretário-geral do PS, António Costa, por seu lado, vai estar presente no arranque da campanha, no domingo. Ao lado do candidato, Victor Freitas, vai ao Funchal, Câmara de Lobos, Machico e Ribeira Brava. O PS integra a coligação “Mudança”, composta ainda pelo PTP do polémico José Manuel Coelho, o MPT e o PAN. Nas últimas eleições, Coelho, que concorreu sozinho, teve 6,8% dos votos (três lugares).

Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, participou na sexta num jantar e volta ao Funchal no último dia de campanha, dia 27, para uma arruada. Catarina Martins vai participar num jantar no dia 26. Este fim de semana, está na Madeira o líder parlamentar, Pedro Filipe Soares. Nas últimas eleições, o PCP teve 3,7% dos votos (um lugar) e o BE  1,7% (não elegeu ninguém para a Assembleia Legislativa Regional).