Três juízes britânicos, Timothy Bowles, Warren Grant e Peter Bullock, foram afastados dos seus cargos, após uma investigação que apurou que teriam visualizado material pornográfico nos computadores do seu local de trabalho, afirma o jornal britânico The Guardian. Um quarto juiz, Andrew Maw, apresentou demissão ao estar sob a mesma suspeita.

Um inquérito disciplinar aberto aos juízes acusou-os de uma “conduta imperdoável” no uso dos seus computadores profissionais, revelou o Secretariado de Investigação de Condutas Judiciais do Reino Unido.

“É uma conduta absolutamente inaceitável para um titular de um cargo jurídico”, afirma o relatório do Secretariado. O conteúdo pornográfico visualizado não continha, no entanto, imagens de menores ou de outro conteúdo ilegal.

A investigação afirma que os juízes acusados não partilharam imagens. Só não explica como é que os juízes foram apanhados.