Cerca de 20 jovens anarquistas irromperam hoje pelo pátio do Parlamento grego em Atenas para reclamarem a libertação de anarquistas presos, bem como o fim das prisões de alta segurança e a abolição da lei antiterrorismo.

Os jovens entraram no pátio do Parlamento, zona que deixou de ter grades de proteção desde que o partido da esquerda radical Syriza lidera o Governo helénico, e lançaram folhetos, tendo posteriormente saído do local.

A ação tinha como objetivo pedir a libertação dos membros do grupo anarquista “Conspiração de Núcleos de Fogo” que estão atualmente presos e que iniciaram uma greve de fome. Dois destes reclusos foram transferidos recentemente para um hospital devido ao seu estado de saúde.

Os ativistas também exigiram a abolição das prisões de alta segurança, medida que consta nos planos do Governo liderado por Alexis Tsipras, que já apresentou um projeto-lei nesse sentido.

Nas últimas semanas, grupos anarquistas têm realizado várias ações de protesto junto de edifícios públicos, incluindo a ocupação dos locais.

A reitoria da Universidade de Atenas continuava hoje, pelo terceiro dia consecutivo, ocupada por um grupo com exigências similares.

Hoje de manhã, as instalações municipais de Nova Smirna, um bairro nos subúrbios de Atenas, também foram ocupadas.

Na semana passada, os anarquistas também ocuparam a sede da emissora da rádio grega Sto Kokkino. Também existiram registos de destruição de estátuas, igrejas saqueadas e vandalização de escolas.

A greve de fome dos presos, bem como as outras ações de protestos, começaram depois da recente detenção de alegados colaboradores e de familiares de elementos do grupo anarquista “Conspiração de Núcleos de Fogo” que, entre 2008 e 2011, realizou vários ataques contra embaixadas, gabinetes de políticos e esquadras de polícia. Os ataques nunca fizeram vítimas.