As autoridades francesas anunciaram esta quinta-feira que foi descoberta a segunda caixa negra do Airbus A320 da Germanwings que se despenhou nos Alpes franceses quando viajava de Barcelona, Espanha, para Dusseldorf, Alemanha. Entretanto, novas informações da investigação dão conta que Andreas Lubitz fez pesquisa na internet sobre formas de suicídio e também se informou sobre funcionamento das portas do cockpit.

O procurador alemão responsável pelo caso confirmou esta quinta-feira que foram encontrados dados num computador na casa de Lubitz em Dusseldorf em que foi possível verificar que o copiloto fez pesquisas na internet sobre métodos para cometer suicídio e também se informou mais em detalhe sobre os mecanismos de segurança das portas de cockpit. Este é o primeiro resultado da equipa especial de investigação que foi montada em Dusseldorf, Alemanha, para tratar do caso. Os investigadores dizem que vão conseguir reconstituir as pesquisas de Andreas Lubitz entre 16 e 23 de março, dias antes do acidente.

De acordo com as autoridades alemãs, a correspondência pessoal e o historial de pesquisa na internet não foram apagados e dá força à ideia que aquele computador foi utilizado pelo copiloto num período relevante antes do acidente.

De acordo com o procurador, Lubitz teve a preocupação de procurar por “tratamentos médicos” por um lado” e também por “tipos e métodos” de suicídio. Além disso, confirma, “pelo menos num dia”, Lubitz pesquisou sobre “portas do cockpit e precauções de segurança”.

A CNN noticia também esta quinta-feira que Andreas Lubitz terá visto pelo menos cinco médicos, demonstrando um grande receio de perder a licença para pilotar. A televisão norte-americana, citando fontes ligadas à investigação às causas do acidente, diz que o copiloto estaria com dificuldades em dormir, procurando também um especialista nesta área.

A primeira caixa negra lançou a suspeita que o copiloto Andreas Lubitz terá deliberadamente provocado a queda do avião e impedido o piloto de voltar a entrar na cabine.

Andreas Lubitz tem sido acusado de provocar deliberadamente a queda do avião no passado dia 24 de março, que provocou a morte de todas as 150 pessoas que estavam a bordo.