Andreas Lubitz terá procurado ajuda médica antes de deliberadamente despenhar o voo 9525 da Germanwings contra os Alpes. O procurador francês Brice Robin acredita que Andreas Lubitz procurou vários médicos, pedindo-lhes conselhos para compreender a doença que o afetava. Robin, em declarações à agência americana Associated Press no dia 4 de junho, não comentou de que sintomas Lubitz se queixava.

No passado dia 24 de março, Andreas Lubitz, co-piloto do Airbus A320, trancou-se no cockpit, tomou conta do avião e despenhou-o deliberadamente contra os Alpes franceses. A companhia aérea alemã afirmou repetidamente que Lubitz passou a todos os testes médicos e estava apto para voar. Os procuradores acreditam que Lubitz estava a tentar esconder os seus problemas do empregador.

Robin acrescentou que a prioridade do trabalho judicial está no compromisso com os familiares das vítimas. O procurador francês, que lidera a investigação, quer assegurar que todos os esforços estão a ser feitos para que as famílias recebam o mais rapidamente possível os restos mortais dos passageiros falecidos. As autoridades internacionais já enviaram a Robin mais informações das investigações, que o procurador francês vai analisar.