O consórcio liderado por David Neeleman prometeu tornar a TAP numa companhia aérea mais forte, disse à agência Lusa fonte oficial do consórcio, depois de saber que a sua candidatura à compra da TAP tinha passado à fase de negociação com o Governo português.

“Estamos contentes por a nossa oferta ter sido selecionada para passar à fase seguinte. Estamos confiantes que a nossa proposta é a melhor para Portugal, para a TAP e para os trabalhadores e todos aqueles que vão beneficiar de uma TAP forte, sobretudo os seus clientes”, disse fonte oficial do consórcio.

Germán Efromovich também já tinha reagido à notícia que excluía a candidatura de Pais do Amaral à privatização da TAP. Ao Observador, porta-voz do empresário manifestou satisfação e assumiu o “compromisso em querer negociar com o governo uma proposta que ajude a transformar a TAP numa companhia de referência que aproveite as sinergias e mais valias mútuas de ambos os grupos”.

Esta quinta-feira, o Governo decidiu em Conselho de Ministros afastar o consórcio de Miguel Pais do Amaral “por não cumprir com os requisitos legais” e continuar a negociar apenas com Gérman Efromovich e David Neeleman.

A proposta de Gérman Efromovich, dono da operadora aérea Avianca e do grupo Synergy, inclui a entrega de 12 novos aviões Airbus após a transferência das ações da companhia e a renovação da frota da Portugália com aviões Embraer até 2016, sendo que o empresário propõe recapitalizar a empresa em 250 milhões de euros, segundo informações avançadas pela imprensa.

David Neeleman, patrão da companhia aérea brasileira Azul e que está em parceria com Humberto Pedrosa, do grupo Barraqueiro, promete reforçar a TAP com 53 novos aviões e investir 350 milhões de euros.

Miguel Pais do Amaral, através da Quifel, prometia manter a estratégia da administração de Fernando Pinto, com a compra dos 12 Airbus 350 já encomendados pela TAP e uma injeção de capital de 325 milhões de euros.

A greve de dez dias dos pilotos da TAP provocou prejuízos de 35 milhões de euros. A empresa ainda não entregou ao governo o plano de redução de custos e maximização de receita.